Tamanho do texto

David José Vallenilla foi socorrido por outros manifestantes que também ficaram feridos pelas balas disparadas pela GNB nesta quinta-feira (22); Ministério Público irá investigar o caso, que soma a outras dezenas de mortes

David José Vallenilla é a mais nova vítima da crise na Venezuela; ele morreu em hospital após levar três tiros no peito
Reprodução/Twitter
David José Vallenilla é a mais nova vítima da crise na Venezuela; ele morreu em hospital após levar três tiros no peito

Um jovem de 22 anos foi morto após levar três tiros no peito, à queima-roupa, durante protestos na estrada de Francisco Fajardo, em Altamira, na Venezuela, nesta quinta-feira (22). Em imagens divulgadas, é possível ver um oficial da Guarda Nacional Bolivariana (GNB) apontando a arma contra o estudante, disparando a poucos metros dele.

Leia também: "O que gosto de Trump é Melania", diz Berlusconi, a 'versão italiana do magnata'

A vítima foi identificada como David José Vallenilla. Ele foi socorrido por outros manifestantes, que também ficaram feridos pelas balas disparadas pela polícia da Venezuela , sendo encaminhado para a Clínica El Ávila, ainda com sinais vitais, mas acabou morrendo durante uma intervenção cirúrgica a que foi submetido.

O Ministério Público designou oficiais da área metropolitana de Caracas para investigar o caso. De acordo com a versão oficial, o jovem teria recebido um disparo no peito. Após a morte ter sido anunciada, funcionários do Corpo de Investigações, Penais e Criminalísticas (Cicpc) chegaram ao lugar para retirar o cadáver.

Usuários das redes sociais, então, começaram a compartilhar um vídeo no qual é possível ver o efetivo militar disparando contra o manifestante, a partir da base aérea de La Carlota.

Leia também: Escolas turcas não vão mais ensinar a Teoria da Evolução "por ser muito difícil"

Homenagem a David

Um grupo de pessoas que estava em frente à clínica hospitalar El Ávila, no município de Chacao, fez uma homenagem ao jovem morto nesta sexta-feira pela madrugada. Assim que os oficiais da Cicpc chegaram para recolher o corpo, os venezuelanos começaram a entoar o hino nacional.  Segundo informações do “El Nacional”, vários cidadãos da cidade prestaram suas homenagens ao jovem morto pela polícia.

Leia também: Incêndio que matou 79 em Londres foi provocado por geladeira com defeito

A GNB reprime com violência os diversos protestos que acontecem na Venezuela contra o governo de Nicolás Maduro. Desde abril deste ano, mais de 80 pessoas foram assassinadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.