Enem tem segundo menor número de inscritos desde que se tornou vestibular
Agência Brasil
Enem tem segundo menor número de inscritos desde que se tornou vestibular

Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022 teve 3.396.597 inscritos, informou o Ministério da Educação nesta sexta-feira. O número só é maior do que em 2021, quando foi registrado o menor da história do exame, com 3.040.908 participantes.

Essa é a principal porta de entrada do ensino superior brasileiro. Em 2014, mais 8,7 milhões de estudantes se inscreveram no exame.

Neste ano, 2.028.353 (59,72%) participantes são isentos da taxa de inscrição e 1.368.244 (40,28%), pagantes. Os dados são considerados preliminares até a apuração definitiva, tendo em vista que há casos de processamento dos pagamentos pelas instituições bancárias, processos judiciais, comissão de demandas, além de outras situações excepcionais, informou o MEC.

Dos inscritos, 3.331.531 farão a versão em papel e 65.066, no computador. É importante lembrar que não existe a opção de prestar o exame em casa: mesmo a avaliação informatizada será aplicada em computadores que ficam em locais designados pelo Inep.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) aplicará as provas das duas versões nos dias 13 e 20 de novembro.

Quem solicitou atendimento especializado poderá conferir o resultado do pedido a partir da próxima terça-feira, 7 de junho. No mesmo dia, começa o período de recursos para os participantes que tiveram as solicitações indeferidas. Já as pessoas que desejam ter tratamento por nome social poderão solicitá-lo entre 23 e 28 de junho.

Aumento no número de isentos
Segundo o ministro, a parcela de alunos isentos no Enem aumentou quase 40% em relação a 2021.

Do total de inscritos neste ano, 1.368.244 (40,28%) são pagantes e 2.028.353 (59,72%) obtiveram o direito de não gastar os R$ 85 para fazer a prova.

Pelo edital, é beneficiado quem:

- vai concluir o ensino médio em 2022, em qualquer modalidade de ensino, em escola da rede pública;
- cursou todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada;
- tem renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio (R$ 1.820);
- ou declara situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda.


No ano passado, o direito à isenção foi amplamente debatido: candidatos que estavam isentos no Enem 2020, mas que faltaram à prova por medo da Covid-19, perderam o benefício em 2021. A justificativa de "temor de se contaminar" não havia sido aceita pelo Inep. Só depois de uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), o processo de pedidos de isenção foi reaberto.

Novidade na aplicação
Pela primeira vez, o Inep aceitará documentos digitais de identificação nos locais de prova, como:

- e-Título,
- Carteira Nacional de Habilitação (CNH) Digital; e
RG Digital.
- O candidato deve apresentar o aplicativo oficial ao fiscal - capturas de tela não serão válidas.

Após a entrada na sala de aula, o uso do celular continuará vetado.

Confira o cronograma
Pedido de tratamento pelo nome social: 23 a 28 de junho

Provas: 13 e 20 de novembro

Disciplinas e horários
Como nos últimos anos, o Enem será aplicado em dois domingos.

Em 13 de novembro, o candidato deverá fazer:

45 questões de linguagens (40 de língua portuguesa e 5 de inglês ou espanhol);

45 questões de ciências humanas; e redação.

Em 20 de novembro, a prova trará:

45 questões de matemática;

45 questões de ciências da natureza.

Veja os horários de aplicação (no fuso de Brasília):

Abertura dos portões: 12h

Fechamento dos portões: 13h

Início das provas: 13h30

Término das provas no 1º dia: 19h

Término das provas no 2º dia: 18h30

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários