sala de aula
Cristiane Capuchinho/iG
No primeiro dia de retorno, os alunos da rede pública irão receber um kit com três máscaras e uma caneca.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) permitiu que as escolas da cidade de São Paulo reabram a partir de 1º de fevereiro, data que marca o início do ano letivo. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (14), durante entrevista coletiva da administração municipal. 

As escolas da rede privada têm autorização para iniciar as atividades em 01/02. Na rede municipal, as aulas retornarão no dia 15/02.

Inicialmente, as unidades de ensino vão receber até 35% dos alunos.  A medida segue o que foi estabelecido pelo governador João Doria (PSDB) em relação ao retorno das aulas presenciais .

Em dezembro de 2020, a gestão estadual classificou as escolas como serviços essenciais . Dessa forma, elas poderão permanecer abertas em qualquer fase da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Segundo Fernando Padula, secretário municipal da Educação, os alunos da rede pública irão receber um kit com três máscaras e uma caneca no primeiro dia de retorno.

Você viu?

O secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, informou que equipes de Unidades Básicas de Saúde (UBS) irão acompanhar as crianças, os educadores e os pais durante o retorno às escolas .

A prefeitura de São Paulo também irá selecionar algumas unidades de ensino para monitorar mais de perto. "Nós vamos escolher nas 28 áreas de vigilância sanitária do município, uma escola que será acompanhada durante os 14 dias, o ciclo do Sars-CoV-2", disse o secretário.

"Teremos todos os dados de alunos, funcionários e pais, e ela será referência para nós naquele território de vigilância sanitária. Vamos acompanhar todas as escolas, mas essa escola sentinela será a referência de como será esse retorno de aula e eventualmente as decisões que serão adotadas", explicou Aparecido.

*Com informações do G1 e da Folha de S.Paulo

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários