aulas
Agência Brasil
Retorno ás salas de aula deve ocorrer a partir de setembro

O governo de São Paulo anunciou hoje (23) o calendário de  retorno gradual às aulas presenciais em escolas públicas e particulares do estado. Com muitos críterios, o plano considera o abrandamento da pandemia e novos protocolos de segurança sanitárias.

A volta às aulas é norteada pelo Plano São Paulo , que também determina o retorno de serviços, lazer e comércio. De acordo com o governador João Doria, o presença nas escolas só será permitida quando todo o estado sair da fase mais rígida de isolamento social, com previsão para o início de setembro. Além disso, haverá rodízio de atividades entre aulas online e presenciais.

Entre os protocolos de segurança anunciados pela secretaria de educação, estão o distanciamento social obrigatório de 1,5 metro entre as pessoas, sejam alunos ou funcionários, organização de entrada, saída e intervalos alternados e preferência de atividades ao ar livre.


Sintomáticos e afastamento dos grupos de risco

A primeira fase do retorno, prevista para o dia 8 de setembro com possibilidade de alteração, orienta a presença de até 35% dos alunos. Nessa fase, a orientação requer a observação constante de sintomas e temperatura dos alunos.

De acordo com o secretário de educação do estado, Rossieli Soares, alunos e funcionários sintomáticos, ou inseridos nos grupos considerados de risco para doença, serão afastados das atividades presenciais. "Haverá um cuidado extremo com os grupos de risco. Isso é fundamental para nós", diz.

Ainda segundo o governo, existirá uma orientação para as famílias, que devem avaliar a condição de saúde de cada estudante. A secretaria reforça ainda que as crianças que não puderem frequentar a escola devem seguir um cronograma específico e online, "sem danos ao rendimento escolar".


Transporte escolar

De acordo com Secretário, o protocolo para o transporte escolar menciona "os estudos [do Plano São Paulo], que envolvem um afastamento dentro do transporte escolar e isso deve ser trabalhado em conjunto com as escolas para o retorno".

Ainda segundo o profissional, "a partir da etapa três, haverá segurança para uma maior normalidade", sugerindo que a lotação dos veículos deve aumentar gradualmente com o abrandamento da pandemia .

Limpeza das escolas

Especialmente no primeiro momento de retomada, a limpeza das instituições de ensino devem receber uma atenção especial para reduzir os riscos de contágio. O novo protocolo sanitário inclui a inspeção e limpeza de "prédios, salas de aula e particularmente superfícies que são tocadas por muitas pessoas" antes de cada turno e sempre que necessário.

Além disso, existe uma orientação sobre o descarte seguro do lixo, que deve ser feito no mínipo três vezes ao dia com o objtivo de evitar o acúmulo de patógenos, e recomendação que determina a ventilação dos ambientes, com janelas e portas abertas, evitando o toque em fechaduras e maçanetas.

Bebedouros

Outro ponto específico mencionado em coletiva de imprensa foi a mudança de alguns hábitos comuns em instituições de ensino, entre os quais os bebedouros coletivos. Segundo o secretário, equipamentos que permitem o consumo direto da fonte devem ser substituídos ou adaptados para a coleta de água com copos e canecos, que serão disponibilizados aos alunos.

Equipamentos de segurança

Comuns durante o período de enfrentamento à pandemia no Brasil, as máscaras de pano e uso individual serão obrigatórias para alunos e funcionários dentro das instituições de ensino. Além disso, outros ítens deverão ser disponibilizados aos funcionários, como faceshield (escudo facial) e luvas.

    Veja Também

      Mostrar mais