Renato Feder
Reprodução/Twitter
Nomeação tiraria o MEC da "ala ideológica" do governo Bolsonaro.

Um dos nomes mais cotados para assumir o comando do Ministério da Educação (MEC), Renato Feder irá se  encontrar com o presidente Jair Bolsonaro na próxima terça-feira (23) e tem apoio para ser indicado ao cargo. Atualmente, Feder é o secretário de Educação do Paraná

O PSD, partido do governador do Paraná, Ratinho Jr., está dando o aval para a indicação de Feder. Com essa possível nomeação para o comando do MEC, Bolsonaro tiraria a pasta da chamada "ala ideológica" do governo, entregando-a para mais um nome indicado pelo Centrão.

A nomeação de Feder seria vista com bons olhos pelo planalto pelo secretário ter um perfil mais técnico do que o de Abraham Weintraub, que deixou a pasta na semana passada.

Além da questão técnica, Feder também está alinhado com algumas questões defendidas por Bolsonaro, como as escolas cívico-militares. Ele também teria uma boa relação com empresários bolsonaristas, o que seria um aceno à base de apoio do presidente. 

Outro nome

Outro nome que estaria sendo sugerido ao presidente é o do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Ele é professor, tem a educação como uma de suas bandeiras e já foi cotado para a vaga quando Ricardo Vélez saiu no ano passado.

Caso assuma, seu suplente, Luiz Felipe Belmonte, advogado que opera pela criação do Alianla pelo Brasil - novo partido de Bolsonaro -, ocuparia seu lugar, fazendo com que o Belmonte ganhasse foro privilegiado. Ele foi alvo de busca e apreensão na semana passada.

    Veja Também

      Mostrar mais