Enem arrow-options
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
MEC admitiu erros na prova do Enem

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e a União Nacional dos Estudantes (UNE) afirmaram nesta segunda-feira (20) que entrarão com um pedido de ação civil pública no Ministério Público Federal (MPF) por danos morais após erros no Enem  (Exame Nacional do Ensino Médio). 

O governo Bolsonaro admitiu que cometeu erros na contagem de pontos de candidatos que realizaram o Enem  em 2019. O Inep, no entanto, afirmou que os estudantes poderiam solicitar a revisão das notas até as 10h de hoje, prazo considerado curto pelas entidades.

Além disso, o órgão  manteve a data das inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para esta terça (21). A UNE e a UBES declararam que, caso as notas não sejam todas corrigidas hoje, pedirão o adiamento do Sisu. 

"Estamos atentos aos fatos que envolvem o #erronoenem. Se não houver correção de todas as provas ainda hoje vamos nos mobilizar e vamos à justiça pedir adiamento do SISU. E ingressaremos os no MPF com pedido de ação civil pública por danos morais, o prejuízo já é irreversível", afirmou a UNE no Twitter. 

Leia também: Sisu abre amanhã: veja passo a passo de como fazer a inscrição

"Os estudantes não podem ser prejudicados pela irresponsabilidade do Ministério da Educação", defendeu a UBES



    Leia tudo sobre: Enem

    Veja Também

      Mostrar mais