Bispo Abner Ferreira
Bispo Abner Ferreira
Bispo Abner Ferreira

Existe uma fase na vida em que o corpo sente a “dor do crescimento”. Essa sensação dolorosa surge na fase crucial do desenvolvimento físico da criança, geralmente, dos 3 aos 10 anos. De acordo com os médicos, a dor atinge os membros inferiores e surgem normalmente à noite ou de madrugada, podendo ser muito intensas. Os especialistas a chamam de “dor do crescimento”, porque não existe deformidade alguma nos exames físicos e nada que possa comprovar o fenômeno cientificamente.

Apesar de a dor ser um sintoma subjetivo, ou seja, cada pessoa sente de um jeito, é possível listar algumas das piores dores que o ser humano pode sentir: cólica renal, dor de parto, enxaqueca, coluna, e dor de dente estão entre as mais temidas. Independentemente do tipo, a dor física incomoda muito e a gente quer logo se livrar dela, isso, entretanto, não é tão fácil assim.
Na vida, não é possível acabar com a dor de uma decepção com tanta rapidez. Não é como uma ida à emergência de um hospital para tomar uma medicação na veia e sair de lá se sentindo melhor. A Psicologia explica que traumas na alma precisam de bastante tempo para serem curados.

A palavra crescer tem muitos sinônimos. Entre eles: aumentar, esticar, ampliar, expandir, dilatar, alargar, alongar. Crescer significa desenvolver, evoluir, progredir, passar de um estado para outro maior e melhor. E essa transformação também acontece por dentro, em nosso íntimo, e, por incrível que pareça, também causa a “dor do crescimento”. Mas não é uma dor que atinge o corpo, e sim a alma. São crises, perdas, traições, frustrações... e um série de pedras que surgem no meio do caminho e que causam muito sofrimento.

A boa notícia é que toda a dor que você sente é usada para o seu bem. Se você está passando por um momento de aflição agora, respire fundo e busque a compreensão de que esse mal é o estímulo temporário que irá impulsioná-lo para o seu novo eu. Nessa fase da vida, a única coisa que se enxerga é o sofrimento, mas, num futuro breve será possível perceber o quanto aquela dor foi fundamental para o seu crescimento. A experiência da dor é como um alimento que aperfeiçoa as pessoas.

Com muita sabedoria, o apóstolo Paulo nos deixa registrado na Palavra de Deus o seguinte: “Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós” (Romanos 8. 18). E, depois, na segunda carta aos Coríntios, ele escreve: “E essa pequena e passageira aflição que sofremos vai nos trazer uma glória enorme e eterna, muito maior do que o sofrimento” (II Coríntios 4.17).

Assim como o ouro é purificado pelo fogo, todas as pessoas são “queimadas” pelos sofrimentos da vida. É assim que as nossas impurezas são retiradas de nós. Aguente firme, tem um propósito maior para essa dor. Ela não vai matar você, mas purificá-lo. Deus te abençoe!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários