pantanal
Chico Ribeiro/Governo do Mato Grosso do Sul
Focos de incêndio costumam menores nesta época do ano por conta do alto índice de chuvas

A Polícia Federal (PF) afirmou que o incêndio que destruiu, até o momento, cerca 25 mil hectares de áreas de preservação ambiental no Pantanal, no Mato Grosso do Sul, não foi acidental. A suspeita dos investigadores é que o fogo tenha sido utilizado para transformar a área da região em pastagem para o gado e a agropecuária.

"As investigações indicam que o fogo tenha sido colocado para depois transformar em pastagem. Você extrai a mata nativa, e aí fica a pastagem para o gado", disse o delegado Alan Givigi, que coordena a operação Matáá, que tem o obejtivo de investigar os responsáveis pelo crime ambiental sem precedentes na região.

A PF começou a atuar na região nesta segunda-feira (14) e espera conseguir respostas quanto a autoria dos incêndios que devastam a fauna e a flora da região do Pantanal.

Segundo a PF, oito mandados de busca e apreensão já foram expedidos. No município de Corumbá, dois destes mandatos foram para pessoas na área urbana, onde um produtor rural foi levado para prestar depoimento. Outros seis foram cumpridos na zona rural do município.

A PF não detalhou os nomes dos suspeitos e nem como estão as investigações, ainda preliminares.

    Veja Também

      Mostrar mais