Tamanho do texto

O tubarão-tigre estava muito inchado e parecia doente quando ficou preso em uma das redes de Jason Moyce em New South Wales, no sul da Austrália

As sacolas plásticas estavam dentro do estômago do tubarão, que ficou preso em uma das redes de um pescador
Reprodução/Instagram
As sacolas plásticas estavam dentro do estômago do tubarão, que ficou preso em uma das redes de um pescador


Um pescador da costa sul da Austrália, em New South Wales, usou suas redes sociais para denunciar um grave problema ambiental: a grande presença de plástico nos oceanos. Em um vídeo publicado em março deste ano, Jason Moyce gravou os momentos em que retira sacolas plásticas de dentro do estômago de um tubarão, que confundiu os sacos com lulas.

Leia também: Hipopótamos salvam gnu de ataque surpresa de crocodilo em imagens surpreendentes

Em seu perfil no Instagram, Moyce escreveu: “Normalmente, eu não pescaria um tubarão -tigre, mas esse aqui era pequeno e ficou preso na rede… Eu fiquei em choque ao descobrir que seu estômago estava cheio de sacolas de plástico! Sério, isso é o que estamos fazendo com nossos oceanos! Animais estão sufocando em nosso lixo. Muito triste”.

O pescador de 45 anos detalhou que o animal estava inchado e parecia doente quando foi capturado, e também pediu para que as pessoas compartilhassem suas imagens, com o objetivo de conscientizar a população sobre a poluição dos mares.

O pescador usou o caso do tubarão para fazer um alerta sobre o uso de plásticos e a forma como eles são descartados
Reprodução/Instagram
O pescador usou o caso do tubarão para fazer um alerta sobre o uso de plásticos e a forma como eles são descartados


Segundo o biólogo marinho Murray MacDonald explicou ao Bega District News , é muito provável que o animal tenha confundido os sacos com comida. “Muitos tubarões são catadores, mas nesse caso em particular as sacolas deveriam estar flutuando, cheias de água, e o peixe pensou que elas eram lulas”, disse ao jornal australiano.

Problema da poluição marítima por plásticos

Em 2016, estimativas apontaram para o uso de cerca de cinco bilhões de sacolas de plástico por ano na Austrália, mas a questão da poluição vai além da situação complicada na Oceania. Na costa espanhola, por exemplo,  uma baleia foi encontrada morta após sofrer um choque gástrico causado pela ingestão de 29 quilos de resíduos plásticos, que estavam jogados no mar.

Após uma autópsia realizada no final de fevereiro, biólogos marinhos afirmaram ter identificado sacolas plásticas, pedaços de cordas, redes de pesca e até mesmo uma lata de plástico no estômago da baleia macho de 10 metros.

Segundo os especialistas, o animal de seis toneladas foi retirado já sem vida de uma praia em Cabo de Palos no final de fevereiro, porém o caso só foi retratado pela mídia agora, depois de o governo regional de Múrcia lançar uma campanha contra o despejo de resíduos plásticos no oceano.

Leia também: Guardas encontram 100 mil armadilhas e restos de animais em parque asiático

Para a diretora-geral de meio ambiente do governo de Múrcia, Consuelo Rosauro, a presença de itens plásticos no oceano se tornou uma das maiores ameaças à vida marinha em todo o mundo na última década. "Muitos animais ficam presos no lixo ou ingerem grandes quantidades de plástico que acabam causando sua morte", afirmou ao The Telegraph sobre o problema, que também afetou o  tubarão  na Austrália.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.