cloroquina
Reprodução
Os autores afirmaram não poder mais garantir a veracidade dos dados usados para fundamentar a pesquisa

Três autores de um artigo que constatou que a hidroxicloroquina aumentou o risco de morte em pacientes com Covid-19 retiraram o estudo da revista científica Lancet. A decisão dos pesquisadores está relacionada com a  qualidade dos dados da pesquisa.

Eles disseram que a Surgisphere, empresa que forneceu os dados, não iria transferir o conjunto completo do material para uma análise independente, e por isso “não podem mais garantir a veracidade das fontes primárias de dados”. O estudo foi publicado na revista científica sobre medicina do Reino Unido The Lancet no mês passado.

Leia também:

Lula diz que Bolsonaro deveria "tomar sopa" de cloroquina e ser "impichado"
Futuro secretário da Saúde, empresário defende uso da cloroquina como prevenção
Covid-19: Brasil tem 1,3 mil mortos em 24h; total de óbitos é 32.548

A revista científica "The Lancet" publicou, nesta quinta-feira (4), uma nota de retratação dos autores do estudo com cloroquina e hidroxicloroquina para Covid-19.

A pesquisa, que analisou dados médicos de 96 mil pessoas, motivou a OMS a suspender os testes com hidroxicloroquina nos ensaios clínicos.

Além de comunicar a retratação dos autores, a revista afirmou que a pesquisa será atualizada e terá a informação sobre a retratação "em breve".

Entenda: 

Nesta última quarta-feira (3), data em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que vai  retomar os estudos sobre a eficácia da cloroquina e da hidroxicloroquina para o tratamento e prevenção dos casos de Covid-19, uma denúncia feita por um jornal britânico mostrou que a decisão, apoiada na falta de dados que comprovassem a insegurança do medicamento, foi motivada pela suspeita envolvendo a empresa responsável por fornecer dados para os estudos.

Segundo informações do The Guardian, a empresa norte-americana Surgisphere foi a responsável por fornecer diversas informações sobre a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), como número de infectados e de mortes, em diversos países.

Tais dados basearam as análises e conclusões de grande estudos, como os produzidos pela Lancet e pelo Nem England Journal of Medicine, e apontaram a falta de segurança da cloroquina. Com isso, a OMS o retirou da lista de opções de medicamentos que deveriam ser estudados e muito países potaram por suspender o uso em pacientes.

Entretanto, a investigação do periódico apontou que a empresa, que tem entre seus funcionários um escritor de livros de ficção científica e até um modelo de conteúdo adulto, não tem qualquer histórico de análise de dados, não apresentou nenhum tipo de metodologia ou embasamento científico para comprovar as informações que compartilhou com os pesquisadores.

Veja íntegra da nota da 'The Lancet':

"Hoje, três dos autores do artigo "Hydroxychloroquine or chloroquine with or without a macrolide for treatment of COVID-19: a multinational registry analysis" pediram a retirada de seu estudo. Eles não conseguiram completar uma auditoria independente dos dados que sustentam sua análise. Como resultado, eles concluíram que não podem mais "garantir a veracidade das fontes de dados primárias".

A "The Lancet" leva a sério as questões referentes à integridade científica e há muitas questões pendentes sobre a empresa Surgisphere e os dados que supostamente foram incluídos neste estudo. Seguindo as diretrizes do Comitê de Ética em Publicações (COPE, em inglês) e do Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas (ICMJE, em inglês), análises institucionais das colaborações de pesquisa da Surgisphere se fazem urgentes e necessárias.

A nota de retratação foi publicado hoje, 4 de junho de 2020. O artigo será atualizado e vai conter essa informação em breve."

Veja íntegra da nota de retratação dos autores:

"Hidroxicloroquina ou cloroquina com ou sem um macrólido para o tratamento de COVID-19: uma análise de registro multinacional

Depois da publicação do nosso artigo na "Lancet", várias preocupações foram levantadas a respeito da veracidade dos dados e das análises conduzidas pela Corporação Surgisphere e seu fundador e nosso coautor, Sapan Desai, na nossa publicação. Lançamos uma revisão independente por pares de terceiros da Surgisphere, com o consentimento de Sapan Desai, para avaliar a origem dos elementos do banco de dados, confirmar a completude dele e replicar as análises apresentadas no artigo.

Nossos revisores independentes nos informaram que a Surgisphere não transferiu o banco de dados completo, contratos de clientes e o relatório completo de auditoria ISO para seus servidores para análise, porque essa transferência violaria acordos com clientes e requisitos de confidencialidade. Dessa forma, nossos revisores não puderem conduzir uma revisão independente e privada e, portanto, nos notificaram de que deixariam o processo de decisão.

Nós sempre aspiramos realizar nossa pesquisa de acordo com as diretrizes mais éticas e profissionais. Nunca podemos esquecer a responsabilidade que temos enquanto pesquisadores para garantir, escrupulosamente, que nos baseamos em fontes de dados que aderem aos nossos altos padrões. Baseados neste desenrolar, nós não podemos mais garantir a veracidade das fontes dos dados primários. Por causa deste desenvolvimento infeliz, os autores pedem que o artigo seja retratado.

Nós todos entramos nessa colaboração para contribuir de boa fé e em uma época de grande necessidade durante a pandemia de Covid-19. Nós nos desculpamos profundamente a vocês, os editores, e aos leitores da revista por qualquer embaraço ou inconveniência que isto possa ter causado.

Mandeep R. Mehra, Frank Ruschitzka, Amit N Patel"

    Veja Também

      Mostrar mais