Tamanho do texto

Segundo a agência especial, um dos objetivos da gravação é verificar se os tremores no planeta vermelho são parecidos com os terremotos da Terra

Impressão artística da sonda InSight perfurando a superfície de Marte.
Nasa/JPL-Caltech
Impressão artística da sonda InSight perfurando a superfície de Marte.

A agência espacial americana Nasa divulgou nesta sexta-feira (7) os primeiros sons de vento captados pela sonda InSight, que pousou em Marte  no último dia 26. De acordo com a agência espacial, dois sensores muito sensíveis na espaçonave detectaram as vibrações de vento: um sensor de pressão de ar e um sismógrafo. 

De acordo com a Nasa, os dois instrumentos gravaram o ruído do vento de diferentes maneiras. Esta é a única fase da missão durante a qual o sismógrafo, chamado de Experimento Sísmico para a Estrutura Interior ( SEIS ), será capaz de detectar as vibrações em Marte geradas diretamente pela sonda. 

Um dos objetivos da gravação é verificar se os tremores no planeta vermelho são parecidos com os terremotos da Terra. Os cientistas esperam que isso leve a novas informações sobre a formação dos planetas em nosso sistema solar, talvez até do nosso próprio planeta.

 “O InSight age como um ouvido gigante”, disse Tom Pike, membro da equipe de ciências InSight e designer de sensores do Imperial College London. "Os painéis solares nos lados da sonda respondem às flutuações de pressão do vento. É como se a InSight estivesse colocando suas orelhas e ouvindo o vento batendo nela. Quando olhamos a direção das vibrações da sonda vindas dos painéis solares, ela corresponde a direção do vento esperada em nosso local de pouso. "

Leia também: Nasa anuncia nova missão para a Lua e produção de estação lunar fixa até 2024

Após percorrer 548 milhões e quilômetros, em uma viagem que durou sete meses, a sonda InSight terá o objetivo de explorar e detectar calor e vibrações sísmicas nunca antes detectadas fora do planeta Terra. Essa é a oitava vez em que a Nasa realiza um pouso em solo marciano, sendo essa a primeira sonda capaz de identificar terremotos e estudar o funcionamento interno do planeta.

Chamada pelos cientistas de “máquina do tempo”, a missão custou US$ 993 milhões e atravessou a fina camada da atmosfera marciana a 19.310 km/h, Dessa forma, ela passou a desacelerar rapidamente, tanto devido ao atrito, quanto devido ao acionamento de paraquedas e retrofoguetes.

Como previsto, ao atingir o solo com velocidade de apenas 8 km/h, ainda assim, a sonda foi capaz de levantar poeira do solo vermelho, o que dificultou que a sonda enviasse imagens instantâneas do solo em que pousou.  

A informação de que a sonda pousou chegou à Nasa 8 minutos após ela ter efetivamente pousado, o que aumentou a expectativa entre os especialistas para saberem se o InSight havia se instalado no lugar planejado. 

Leia também: Estação Espacial Internacional pode ter sido sabotada por astronautas em órbita

Por não ter rodas, como outros equipamentos, a sonda não será capaz de se movimentar pelo planeta, sendo de extrema importância que o InSight pousasse no local programado. Dessa forma, as novas descobertas sobre Marte serão feitas por meio de um braço mecânico que perfurará o solo a cinco metros de profundidade. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.