Tamanho do texto

Parecida com crocodilos e golfinhos, espécie foi batizada de Magyarosuchus fitosi em homenagem ao colecionador amador húngaro que localizou o fóssil

A nova espécie foi descoberta a partir de fósseis de ossos
Reprodução/Phys.org
A nova espécie foi descoberta a partir de fósseis de ossos "esquecidos" na coleção de um museu na Hungria


O fóssil de um réptil de 180 milhões de anos, encontrado “esquecido” na coleção de um museu, foi o responsável por uma descoberta inédita: alguns crocodilos evoluíram para criaturas muito peculiares, que parecem a mistura dos répteis com golfinhos.

Leia também: Homem é surpreendido por nuvem de pólen ao cortar árvore nos EUA; assista

De acordo com informações do Daily Mail, o réptil foi um dos maiores predadores costeiros do período Jurássico. O crocodilo tinha quase cinco metros de comprimento e dentes muito grandes e pontiagudos, mas algumas de suas características físicas também lembram outro grupo de animais, os golfinhos.

A cauda seccionada, por exemplo, seria um dos fatores a estabelecer uma relação entre os dois grupos. “Esse fóssil fornece um conhecimento único sobre como os crocodilos começaram a evoluir para golfinhos e baleias mais de 180 milhões de anos atrás”, explicou o pesquisador Mark Young, da Universidade de Edimburgo.

A nova espécie foi batizada de Magyarosuchus fitosi , em homenagem a Attila Fitos, um colecionador amador que encontrou o fóssil na Hungria, em 1996. O estudo, realizado com pesquisadores da Hungria e da Alemanha, foi publicado na revista científica PeerJ.

Outra mistura peculiar da natureza

Tão diferente quanto o 'crocogolfinho', outra espécie de animal 'misturado' foi descoberta há pouco tempo. Um estudo publicado revista Nature revelou a descoberta de uma nova – e bem diferente – espécie de dinossauro.  Com o pescoço de um cisne, antebraços de nadadeiras, focinho de pato e patas de velociraptor (um gênero de dinossauros), o animal tinha a rara capacidade de sobreviver tanto na água quanto em terra firme.

Segundo o  The Guardian , o fóssil foi encontrado na região da Mongólia e acredita-se que o dinossauro  viveu entre 71 e 75 milhões de anos atrás, durante o período Cretáceo, no deserto de Gobi. “O que é muito especial sobre este animal é que ele tem uma aparência muito estranha. Não se parece com nenhum outro do grupo conhecido até agora”, explicou Vincent Fernandez, um paleontólogo do ESRF e co-autor da pesquisa.

Leia também: Fenômeno da bioluminescência deixa água do mar brilhante na Califórnia; entenda

O animal, que mostra características de um anfíbio e tem o mesmo tamanho de um pato-real, recebeu o nome  Halszkaraptor escuilliei. Assim como no caso do crocodilo , suas peculiaridades deixaram os cientistas responsáveis muito surpresos, o que os levou a realizar um número muito grande de testes para garantir que o fóssil não é uma “quimera” formada por vários esqueletos diferentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.