Tamanho do texto

A descoberta do fóssil de hominídeo chamado de "Little Foot" reafirma a ideia de que a África do Sul seria o principal berço da humanidade; veja

Apelidado de
Reprodução/CNN
Apelidado de "Little Foot", o fóssil do acentral humano é o mais antigo já encontrado na região da África Meridional


Cientistas divulgaram, na última quarta-feira (6), a descoberta do mais antigo fóssil de ancestral humano já encontrado na África Meridional. Chamado de “Little Foot” – pé pequeno, em tradução livre –, o esqueleto tem quase quatro milhões de anos e foi localizado na África do Sul, no sítio arqueológio Cradle of Humankind . Todo o processo, desde a descoberta da ossada até a preparação do material, durou 20 anos.

Leia também: Cientistas brasileiros encontram mais de 300 ovos de dinossauros na China

De acordo com nota divulgada pela Universidade de Witwatersrand, o “Little Foot” recebeu este nome pelo professor Phillip Tobias por causa dos pequenos ossos do pé encontrados por Ron Clarke em 1994. O cientista estava analisando um  fóssil  encontrado na gruta de Sterkfontein, que faz parte do Cradle of Humankind , quando supôs que o pequeno esqueleto era da espécie Australophitecus , o menor ancestral humano que já habitou a África.

O restante dos ossos do hominídeo só foram localizados em 1997, e todo o processo de escavação, limpeza, reconstrução, moldagem e análise demorou 20 anos. Segundo a CNN, boa parte do trabalho foi realizada dentro da próprio sítio arqueológico, com o auxílio de ferramentas especializadas para não comprometer o material estudado.

“O processo exigiu uma escavação extremamente cuidadosa dentro do ambiente escuro da caverna. Assim que as primeiras partes da superfície dos  ossos foram expostas, a breccia [pedra onde o esqueleto foi encontrado] teve que ser cortada com muita cautela e removida em blocos para, depois, ser limpa no laboratório”, explicou Clarke sobre a ossada, que data de 3,67 milhões de anos atrás.

Diferente das primeiras especulações do cientista, o "Little Foot" faz parte de uma segunda espécie, a Australopithecus prometheus , nomeada em 1948 após a descoberta de fósseis fragmentados. 

Leia também: Mulher encontra salamandra de quase um metro dentro de cano "entupido"; veja

Descoberta notável

O mais completo esqueleto de Australopithecus já encontrado foi considerado um marco por pesquisadores. "Esta é uma conquista histórica para a comunidade científica e para a genealogia da África do Sul . É através de importantes descobertas como esta que nós obtemos um vislumbre do passado, o que nos ajuda a entender melhor a humanidade", declarou Adam Habib, diretor da Universidade de Witwatersrand, onde o material foi apresentado.

O resultado das duas décadas de pesquisa serão divulgados nos próximos meses em cerca de 25 artigos científicos.

Leia também: Confundida com lata, lagosta é encontrada com "tatuagem" da Pepsi e gera alerta

O fóssil foi encontrado no Sítio Arqueológico Cradle of Humankind, cujo sistema de grutas Sterkfontein ficou conhecido na década de 1930 com a descoberta de um Australopithecus africanus adulto. Agora, a revelação de "Little Foot" como o ancestral humano mais antigo da região solidifica a importância do complexo para estudos de evolução .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.