Carro da polícia na porta da casa onde foram encontrados mãe e filhos encarcerados há 17 anos
Reprodução - 29.07.2022
Carro da polícia na porta da casa onde foram encontrados mãe e filhos encarcerados há 17 anos

Mãe e filhos que foram mantidos em cárcere privado por 17 anos em Guaratiba receberam alta do Hospital Municipal Rocha Faria na noite desta sexta-feira (29). De acordo com a secretaria municipal de Saúde, eles deixaram a unidade acompanha por um familiar e receberão acompanhamento e tratamento psicológico por meio do Centro de Atenção Psicossocial (Caps). A família foi levada para a casa de parentes.

A secretaria municipal de Assistência Social informou em nota que "com sua equipe de assistentes sociais, pedagogos e psicólogos, pôs à disposição da família todo o apoio socioassistencial necessário, como acolhimento institucional e fornecimento de insumos como cestas básicas, kits de cama e de banho".

Também por nota, a secretaria municipal de Habitação (SMH) afirmou que "a presente situação exposta não se enquadra nos parâmetros do decreto de número 44637 de 18 de junho de 2018 que define a concessão do Auxílio Habitacional Temporário".

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Disse ainda que "entretanto, oferece a opção de inscrever a família no banco de demandas para produção habitacional. E que este cadastro pode ser feito já nesta segunda-feira". E que "a equipe da Coordenadoria de Ações Sócio-Habitacionais da SMH, responsável pelo intermédio entre as famílias e a prefeitura, está à disposição para dar apoio e assistência ao caso".

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos e da Secretaria de Assistência às Vítimas, informou, por nota que "está acompanhando a situação desta família": "Eles ainda se encontram em recuperação e o contato direto com as vítimas, para um atendimento cuidadoso como o caso requer, ainda não foi possível". 

Disse ainda que "O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos entrou em contato com o Estado, e também, se colocou à disposição para colaborar no que for necessário. O Estado do Rio de Janeiro não medirá esforços para atendê los da melhor maneira com todo o suporte necessário".


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários