Carro da polícia na porta da casa onde foram encontrados mãe e filhos encarcerados há 17 anos
Reprodução - 29.07.2022
Carro da polícia na porta da casa onde foram encontrados mãe e filhos encarcerados há 17 anos

Na manhã desta quinta-feira (28), policiais militares do 27º BPM (Santa Cruz) libertaram uma mulher e dois jovens que estariam  mantidos em cárcere privado há 17 anos. A equipe policial localizou as vítimas em uma residência em Guaratiba, Zona Oeste do Rio, após receber uma denúncia anônima. Os jovens, que seriam filhos da mulher e do suspeito de mantê-los em cárcere, estavam amarrados, sujos e subnutridos. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado. De acordo com a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Campo Grande, o autor foi autuado em flagrante pelos crimes de tortura, cárcere privado e maus-tratos. A investigação está em andamento.

Um dos jovens com os pés amarrados no local onde era mantido em cárcere privado
Reprodução - 29.07.2022
Um dos jovens com os pés amarrados no local onde era mantido em cárcere privado

Um casal de filhos subnutridos era mantido amarrado na casa com sinais de pouca estrutura, sem piso ou pintura nas paredes. O rapaz tem 19 anos e a jovem, 22. Em imagens, é possível ver que em um dos cômodos (aparentemente um quarto), há uma cama enferrujada com dois colchões de solteiro, roupas de cama rasgadas e com marcas de ferrugem e desgaste. Vizinhos disseram aos policiais militares que o pai dos jovens dizia ser lanterneiro e que ele costumava ouvir música alta.

"A situação foge da realidade. Difícil de compreender. Recebemos uma denúncia anônima de que uma família estava sendo mantida em cárcere privado. Quando a guarnição entrou na casa, encontrou dois jovens amarrados pelos pés e sujos. Havia até fezes no local. Inicialmente, pensávamos que eram crianças, tal era o nível de desnutrição da moça e do rapaz", descreveu o capitão William Oliveira, chefe do setor operacional do 27º BPM (Santa Cruz).

Segundo o capitão, a mãe do casal de jovens também era mantida presa dentro de casa. O marido dela e pai das vítimas disse aos policiais que não fez nada de errado:

"Ele nos disse que os filhos eram doentes mentais e precisavam estar presos. Quando conversamos com a senhora, ela nos disse que ela e os filhos não saiam de casa há 17 anos. Provavelmente, eles viviam sendo agredidos, mas isso será a Polícia Civil quem irá constatar. O ambiente da casa é um horror. Um imóvel simples, quase sem móveis, sujo e com mau cheiro. A gente que já pensa que viu de tudo nessa vida, nunca imagina que haja algo tão assustador!", comentou o capitão.

Os policiais levaram o pai preso para a 43ª DP (Guaratiba). O restante da família foi para o Hospital Municipal Rocha Faria. O local está sendo mantido pela PM para a perícia. As três vítimas apresentam quadro de desidratação e desnutrição grave, segundo a Secretaria municipal de Saúde do Rio, e estão recebendo os cuidados clínicos necessários, além do acompanhamento dos serviços social e de saúde mental.

De acordo com a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Campo Grande, o caso foi apresentado na unidade por policiais militares. O autor foi autuado em flagrante pelos crimes de tortura, cárcere privado e maus-tratos. A investigação está em andamento.

Entre no canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários