Assalto na Av. Presidente Vargas, no Rio de Janeiro
Reprodução/Instagram
Assalto na Av. Presidente Vargas, no Rio de Janeiro

Relatos indicam que o entorno da Marquês de Sapucaí, na região central do Rio, vem registrando diversos crimes na noite desta sexta-feira, quando acontecem os primeiros desfiles do Grupo Especial do carnaval carioca. Um flagrante que circula nas redes sociais mostra, por exemplo, um furto ocorrido em frente à Central do Brasil, que fica a menos de um quilômetro do Sambódromo.

O vídeo, de apenas 14 segundos, exibe dois rapazes se aproximando de um carro vermelho preso no estacionamento. Um deles esgueira-se pelo vidro traseiro aberto e toma o celular de um dos passageiros, correndo em fuga na sequência, acompanhado de pelo menos outros três homens na disparada.

A insegurança nas proximidades da Sapucaí vem sendo amplamente denunciada na internet. "Maior bagunça na Central, vários assaltos", resumiu uma usuária do Twitter. "Ao lado do Sambódromo, na passarela na minha frente, eu vi pelo menos três pessoas perdendo o celular", contou outro perfil. Uma busca rápida revela várias outras mensagens na mesma linha.

Procurada, a Polícia Militar informou, por nota, que "o policiamento está intensificado na região". Segundo a corporação, oito suspeitos de furto nas redondezas da Avenida Presidente Vargas, onde ficam tanto a Sapucaí quanto a Central, foram encaminhados para a delegacia entre quinta e sexta-feira.

"Nesta noite, alertados por transeuntes sobre indivíduos que teriam entrado efetuado roubos na região, os policiais conduziram três indivíduos para a 4ª DP (Praça da República), prossegue o texto. "O comando da Corporação mobilizou mais de 10 mil policiais militares para atuar de forma extraordinária, tanto na capital como em outras cidades turísticas do estado, para garantir a segurança durante os eventos carnavalescos programados para este feriado prolongado", arremata a PM, acrescentando que só a região central da capital "conta com um reforço extra" de 3.291 agentes.

Leia Também

Após a publicação da reportagem, a Polícia Militar complementou o conteúdo inicial e informou ter apreendido os adolescentes envolvidos no furto em frente à Central. Com eles, foram apreendidos dois celulares.

Furtos de celular viraram cena comum

Cenas como a filmada em frente à Central do Brasil tornaram-se frequentes no Rio nos últimos meses, tal qual o EXTRA revelou na última terça-feira. Tendo como alvo mais frequente os carros de transporte por aplicativo, o ladrão estica o braço pela janela do veículo e foge de pronto com o celular da vítima. Foram contabilizados dezenas de casos em vários bairros da Zona Sul, como Glória, Laranjeiras, Botafogo e Copacabana, e também na Barra da Tijuca, na Zona Oeste.

O modus operandi, via de regra, é exatamente o mesmo. Ações rápidas, à noite, aproveitando pontos de congestionamento ou sinais vermelhos, através da janela aberta e contra passageiros no banco traseiro, em geral sozinhos. E a abordagem abrupta traz um risco que vai além do prejuízo financeiro com a perda do aparelho. Como o telefone está em uso no momento do furto, ele acaba sendo levado desbloqueado, o que permite aos criminosos tentar utilizar, com mais facilidade, aplicativos de bancos ou de redes sociais para fazer operações ou aplicar golpes.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários