Greve de ônibus gera congestionamento na capital paulista
Arquivo/Elisa Rodrigues/SPTrans
Greve de ônibus gera congestionamento na capital paulista

Na manhã desta terça-feira (14), os motoristas e cobradores de ônibus da cidade de São Paulo começaram uma greve após rejeitarem a proposta de reajuste salarial oferecida pelas empresas do setor. A paralisação fez com que a Prefeitura de SP suspendesse o rodízio municipal de veículos, que só deve voltar a operar amanhã .

A mobilização fez com que diversas regiões da capital paulista tenham registrado congestionamento. Veja, abaixo, as áreas mais afetadas, de acordo com o site da SPTrans :

Mapa da SPTrans mostra as regiões mais afetadas pela greve em São Paulo
Reprodução / SPTrans - 14.06.2022
Mapa da SPTrans mostra as regiões mais afetadas pela greve em São Paulo


Zona Sul - região do Capão Redondo, Interlagos, Grajaú, Brooklin;

Zona Oeste - Morumbi, Pinheiros, Lapa;

Centro - Liberdade, Sé;

Zona Leste - Brás, Tatuapé, Belenzinho, Vila Formosa, São Mateus, Vila Prudente, Vila Diva, Vila Matilde, Cangaíba, Artur Alvim, Parque Boturussu, Vila Ré, São Miguel, Itaim Paulista, Itaquera;

Zona Norte -  Cachoeirinha, Santana, Tucuruvi, Parada Inglesa, Freguesia do Ó, Imirim.

Conforme o mapa, os trechos mais afetados (que aparecem em vermelho e amarelo) estão localizados, principalmente, na Zona Leste e Zona Norte da capital paulista.  Acompanhe aqui o trânsito em tempo real.




As faixas exclusivas de ônibus e corredores de ônibus foram liberados para circulação enquanto durar a paralisação. Os agentes da CET estão na rua para organizar o trânsito.

No início da manhã, a operação em todas as garagens dos grupos estrutural e de articulação regional foi interrompida, segundo a SPTrans. As linhas são as de maiores trajetos e que ligam diferentes regiões da capital.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários