Bolsonaro acusa Barroso de seletividade no caso dos desaparecidos no AM
Reprodução
Bolsonaro acusa Barroso de seletividade no caso dos desaparecidos no AM

O presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou a  decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, que deu cinco dias para que as autoridades apresentem um relatório "contendo todas as providências adotadas e informações obtidas" sobre o caso do desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, no Amazonas .

O presidente afirmou que "dezenas de milhares que desaparecem por ano no Brasil", mas que Barroso "se preocupou apenas com esses dois".

"É dispensável o senhor Barroso dar uma de dono da verdade e dar cinco dias para o presidente explicar ou achar esses dois que desapareceram lá na região amazônica. Estamos fazendo a nossa parte", disse, em entrevista a CBN Recife.
"Agora, eu não tenho o número exato aqui, (mas queria) dizer ao senhor Barroso que são dezenas de milhares que desaparecem por ano no Brasil, ele se preocupou apenas com esses dois. Nós, via nosso Ministério da Mulher, Direitos Humanos, nós nos preocupamos com todos os desaparecidos no Brasil."

Bruno e Dom estão desaparecidos desde o último dia 5 , quando viajavam de barco pelo Vale do Javari, interior do Amazonas. Ontem, o Corpo de Bombeiros localizou uma mochila e um par de chinelos e documentos que foram confirmados como pertences da dupla . O material será enviado à perícia.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários