Mortes ocasionadas por acidentes de trânsito cai 30% no Brasil
Rovena Rosa/ Agência Brasil
Mortes ocasionadas por acidentes de trânsito cai 30% no Brasil

O número de mortes ocasionadas por acidentes de trânsito caiu 30% no Brasil, entre os anos de 2011 e 2020, segundo dados do Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (RENAEST), da Secretaria Nacional de Trânsito. A redução, apesar de não ter atingido a meta estipulada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas (ONU), que é de 50%, representa avanços para um  trânsito mais seguro.

Segundo os números, em 2011, o Brasil registrou 44.553 mortes resultantes de acidentes de trânsito. Em 2018, o número baixou para 33.625. Em 2021, chegou a 11.647 ocorrências. Já o número de acidentes, em 2021, foi de 632.764 registros, volume 33% menor se comparado ao ano de 2020, que registrou 845.872 acidentes.

Pandemia de Covid-19

Desde que foi decretada a pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 11 de março de 2020, o impacto nas ocorrências de trânsito foram sentidos. Dados preliminares de mortes no trânsito de 2020 mostram uma pequena redução, de cerca de 6%, em comparação aos índices de 2019.

Em 2020, foram 31.945 óbitos e 30.168 mortes, em 2019. Ou seja, ao contrário do que se imaginava, a pandemia não reduziu, significativamente, as vítimas fatais no trânsito.

Com a avaliação do número de óbitos em 2020, é possível perceber que apenas o mês de abril de 2020 apresentou queda brusca no total de óbitos (29%). Porém, a partir de agosto, os valores de 2020 aproximam-se da média dos anos anteriores, tanto que, em outubro e novembro, chegou a até superar a média. O período coincide com a flexibilização das medidas de distanciamento social.

A hipótese é de que muitas pessoas que precisavam se deslocar, mesmo em períodos de isolamento, preferiram usar os meios de transporte individual para fugir do transporte público, que registra aglomerações com certa frequência. Tal fator pode ter contribuído para uma redução não tão significativa.

Perspectivas atuais

Com as novas regras no Código Brasileiro de Trânsito (CTB) implementadas este ano e investimentos em novas tecnologias, especialistas acreditam que os números de acidentes no Brasil deverão melhorar ainda mais. Entre as principais tecnologias que têm ajudado a reduzir o número de acidentes no trânsito estão os radares.

O especialista em mobilidade, Guilherme Araújo, afirma que, a partir dos dados gerados pelos radares, é possível comprovar uma redução média de até 35 vezes no comportamento irregular dos condutores em locais em que os equipamentos estão instalados.

“Existe uma relação óbvia de redução de mortes por acidente de trânsito com o incremento da fiscalização eletrônica. O monitoramento auxilia as administrações de trânsito municipais e estaduais no planejamento, reduzindo os riscos de mortes causadas por acidentes”.

Segundo ele, isso acontece porque existem equipamentos que conseguem emitir informações relevantes, como é o caso dos que controlam velocidade. "Medir é uma forma de gerenciar e possibilitar a tomada de decisões de forma assertiva”, completa.

Atualmente, os dispositivos, segundo o especialista, já possuem softwares que também conseguem emitir dados referentes à quantidade de pessoas que se deslocam de uma origem a um destino, de acordo com o horário, modo de transporte utilizado, velocidade média, tempo médio de percurso, entre outros dados que podem ajudar a controlar melhor o trânsito.

“Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os radares servem para garantir a segurança da população. Ao aferir a velocidade, a tecnologia ajuda a evitar acidentes e mortes em vias, rodovias e em locais como no entorno de escolas, hospitais e residências”, afirma Guilherme Araújo.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários