Cabo Anselmo durante entrevista concedida ao Roda Viva, da TV Cultura, em 2011
Reprodução/Youtube
Cabo Anselmo durante entrevista concedida ao Roda Viva, da TV Cultura, em 2011

José Anselmo dos Santos, conhecido como Cabo Anselmo, morreu nesta terça-feira (16), aos 80 anos, vítima de complicações renais em Jundiaí, no interior de São Paulo.

Segundo apuração do iG, o enterro aconteceu em uma cerimônia fechada, apenas com familiares, no Cemitério Municipal Nossa Senhora do Montenegro. Anselmo foi velado sob o codinome de Alexandre da Silva Montenegro.

Um dos nomes marcantes na Ditadura Militar brasileira, ele atuou como agente duplo durante o regime. Ao longo da vida, Anselmo alegou que foi perseguido pelos militares - ele fazia parte da Marinha -, e que ficou preso por dois anos, e aí passou a colaborar com informações aos órgãos do governo.

Tais revelações teriam levado à prisão a paraguaia Soledad Barret, sua esposa, que estava grávida. Em 2004, Anselmo entrou com um requerimnto na Comissão de Anistia, que negou sua reintegração na Marinha e o direito à indenização de anistiado político.

Ele recorreu da decisão, e em junho de 2020, a ministra Damares Alves indeferiu o recurso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários