'Hipster da Federal' é morto ao tentar invadir propriedade rural
Reprodução/redes sociais
'Hipster da Federal' é morto ao tentar invadir propriedade rural

policial federal Lucas Valença foi morto no fim da noite desta quarta-feira (2), quando tentava supostamente invadir numa propriedade rural de Buritinópolis, cidadezinha de pouco mais de 3 mil habitantes em Goiás. Valença chamou atenção nas redes durante uma escolta da PF ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (preso), quando apareceu ao lado do ex-parlamentar com a barba grande e cabelos longos — características que acabaram por destacá-lo dos demais agentes.

Valença foi atingido por um único tiro. O delegado Adriano Jaime, da Polícia Civil de Goiás, conta que o autor do tiro relatou que teve a casa invadida por Lucas, que gritava fazendo ameaças e teria desligado o interruptor de luz e arrombado sua porta.

"Eu estava de plantão na Delegacia Regional de Posse quando me foi apresentada a situação envolvendo a morte do policial federal Lucas Valença. Segundo relatos do autor, ele estava em sua casa com sua filha de 3 anos e sua esposa, quando começou a ouvir gritos do lado de fora, dizendo: "Saiam todos de casa, senão vou entrar e matar". Neste momento, temendo por sua vida e de sua família, ele narra que pegou sua arma de pressão modificada para calibre 22. A vítima, então, desligou o padrão de energia e arrebentou a fechadura da porta. Neste momento, o autor disse: "Não entre, estou armado". E, segundo ele, mesmo assim ele entrou e foi para cima do autor, que deferiu um único tiro", conta o delegado.

Segundo Jaime, um inquérito será aberto para apurar se o dono da propriedade agiu em legítima defesa. Ele chegou a ser preso logo após o fato, por posse ilegal de arma, mas pagou fiança e foi solto.

Leia Também

Leia Também

"Depois do tiro, a vítima começou a gritar que era policial e, nesse instante, o autor conta que ligou para a Polícia Militar solicitando uma ambulância. Depois dos primeiros socorros, todos foram encaminhados a essa delegacia de polícia, onde foi feito um auto de prisão em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e homicídio, que vai ser apurado por meio de um inquérito policial, já que pelas circunstâncias do fato, teria se dado por legítima defesa. O autor pagou fiança e está em liberdade", concluiu.

O estilo peculiar de Valença também ganhou destaque durante sua participação nas buscas pelo serial killer Lázaro Barbosa, caso de grande repercussão nacional, que terminou com a morte do criminoso. Com 111 mil seguidores no Instagram, sua última postagem foi em dezembro do ano passado, ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Procurada, a Polícia Federal ainda não retornou ao GLOBO sobre a morte do agente.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários