A pisicina da mansão do empresário
Divulgação: Polícia Civil
A pisicina da mansão do empresário

Um empresário foi preso pela Polícia Civil do Distrito Federal, na manhã desta quarta-feira, em sua mansão no Lago Sul, acusado de manter pornografia infantil na residência. Dono de um hotel, ele contou a agentes que baixava o material, mantido no celular e no computador, havia quatro anos para seu "deleite pessoal".

A ação que levou o acusado à prisão foi chamada de Downloader e deflagrada pela Delegacia Especial de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC). Essa é a terceira fase da operação, que combate crimes de pornografia infantojuvenil.

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão na mansão, os agentes encontraram os materiais relacionados à pedofilia infantil.

Na residência, foram também apreendidos os equipamentos eletrônicos que estariam sendo usados na prática do crime.

Leia Também

O investigado foi autuado em flagrante pelo delito de armazenamento de imagens e vídeos de exploração sexual infantil (Art 241-B, do Estatuto da Criança e do Adolescente).

Se condenado, o empresário pode pegar quatro anos de prisão. Ele está na carceragem da DRCC, onde ficará preso à disposição da Justiça.

"Vale ressaltar que na primeira fase da Operação Downloader, que ocorreu em Samambaia, um indivíduo foi preso em flagrante por armazenar cerca de 250gb com aproximadamente de 2.500 arquivos (vídeos e fotografias) relacionado a pedopornografia. Na segunda fase, ocorrida no Riacho Fundo II, foi preso em flagrante um técnico legislativo concursado do Senado Federal, de 31 anos, que residia na casa dos pais. E, nessa terceira fase, um empresário do ramo hoteleiro foi preso", disse o delegado Dário Freitas, da DRCC.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários