Cratera que se abriu na Marginal Tietê após acidente em obra do Metrô
Reprodução: cnn
Cratera que se abriu na Marginal Tietê após acidente em obra do Metrô

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), deu dois prazos para a reabertura da pista local da Marginal Tietê. O trecho foi interditado ontem, após um acidente nas obras da futura Linha 6 -Laranja do Metrô.

Desde ontem, quando a cratera aumentou, equipes do governo estadual e da Acciona, empresa responsável pela construção da Linha 6, trabalham para recuperar o local. O plano de ação prevê o aterro do poço para impedir a perda do solo e o preenchimento da cavidade com argamassa. Uma outra etapa, de implantação de barreiras de estacas para contenção da cavidade, é que deve determinar a liberação da via, segundo Nunes.

"Hoje saberemos se o estacamento vai ser necessário ou não. Se não houver, liberamos na sexta. Se houver, liberamos no dia 11 de fevereiro", disse. "A empresa está agilizando o processo de contenção na questão do aumento da cratera para liberarmos a pista", completou.

Ricardo Nunes afirmou também que a Defesa Civil realizou uma vistoria no local, e que "não foi identificado nenhum tipo de problema que possa causar a necessidade de interdição". "O entorno está preservado, é importante que as pessoas tenham essa tranquilidade".

Leia Também

Leia Também

Desvio do trânsito

Enquanto a Marginal não é liberada, a prefeitura deve desviar o curso do trânsito no trecho, sentido Rodovia Ayrton Senna, antes da Ponte do Piqueri, visando auxiliar o transporte público e os motociclistas, afirmou Nunes.

"Naquela pista local temos cinco linhas de ônibus que transportam 40 mil pessoas diariamente e os motociclistas, que transitam pela local e central. Ontem a noite estivemos com a empresa (Acciona), a equipe da prefeitura e da CET, e identificamos a possibilidade de fazer um desvio que não atende as três pistas interditadas, mas ameniza, e atenderíamos principalmente as linhas de ônibus e a motociclistas".

Para isso, a prefeitura terá que abrir a via. Segundo Ricardo Nunes a autorização para que a Procuradoria-Geral do Município faça a requisição de imóveis na região.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários