Bruno Covas, ex-prefeito de São Paulo, vítima de câncer
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Bruno Covas, ex-prefeito de São Paulo, vítima de câncer

Em 2021, São Paulo (SP) viu pela primeira vez um prefeito da cidade morrer durante o mandato. Bruno Covas (PSDB), 41, faleceu no dia 16 de maio, após travar batalha de dois anos contra o câncer

O político, que já lutava contra a doença havia dois anos, teve piora em seu quadro clínico no dia 3 de maio. Ele precisou ser internado em unidade de terapia intensiva (UTI) e intubado, após apresentar sangramento no estômago, detectado em um exame de endoscopia.

Após 13 dias internados no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, Covas morreu, aos 41 anos de idade.

Cronologia do quadro de Covas

Os primeiros tumores foram  identificados por Covas em 2019, na região da cárdia, localizada entre o estômago e o esôfago , já em fase metastática — quando o câncer se espalha por outros órgãos (no caso de Covas, o pâncreas e o fígado).

Ainda naquele ano, Covas passou por imunoterapia enquanto continuou exercendo o cargo de prefeito. Os tumores regrediram. 

Leia Também

Leia Também

Após ser eleito prefeito de São Paulo em 2020, Covas anunciou nota etapa de tratamento. Ele tirou uma licença médica de 10 dias e foi submetido a sessões de radioterapia. No mês seguinte, exames mostraram que a doença havia progredido para o fígado. Em abril, tumores foram identificados também nos ossos da coluna e na bacia, o que levou o político a passar por novas sessões de quimioterapia e imunoterapia.

Após sentir dores e mal-estar no dia 2 de maio, voltou ao hospital.  O prefeito foi diagnosticado com anemia e um sangramento na cárdia (região inicial do câncer). Dias depois, novas sessões de radioterapia.

No dia seguinte, foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi intubado após a descoberta do novo sangramento no sistema digestivo. Na sexta-feira (14), houve piora no quadro de saúde e a equipe médica informou que seu quadro havia se tornado irreversível, tendo falecido dois dias depois, aos 41 anos de idade. O prefeito deixou um filho, Tomás, de 15 anos. 

O tucano recebeu homenagens da população e de políticos de diferentes partidos, como João Doria (PSDB), Lula e Dilma (PT), Guilherme Boulos (PSOL), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o presidente do STF, Luiz Fux e outros.

Seu vice, Ricardo Nunes (MDB), assumiu a cadeira de prefeito em seu lugar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários