Líder da milícia de Rio das Pedras, Maurício Silva da Costa, vulgo ‘Maurição’
Reprodução
Líder da milícia de Rio das Pedras, Maurício Silva da Costa, vulgo ‘Maurição’

A Justiça do Rio de Janeiro condenou, após dois dias de julgamento, o tenente reformado da Polícia Militar Maurício Silva da Costa, vulgo Maurição, apontado como líder da milícia de Rio das Pedras, um dos alvos da  Operação Intocáveis. A pena é de 30 anos de prisão.

Já Fabiano Cordeiro Ferreira, o ‘Mágico’, braço direito da organização, recebeu pena de 8 anos reclusão.

Maurição foi declarado culpado nas acusações de homicídio triplamente qualificado e organização criminosa. Mágico foi condenado por integrar organização criminosa. O homicídio em questão foi cometido contra Júlio de Araújo, em 24 de setembro de 2015, quando milicianos entraram em sua residência e o executaram.

O Juízo do IV Tribunal do Júri da Comarca da Capital ressaltou na sentença que "no contexto em que praticado o crime, há consequências maléficas a todo o meio social, já aterrorizado com a prática miliciana, como é público e notório na cidade do Rio de Janeiro, onde a milícia controla de forma ilegal, abusiva e violenta inúmeros serviços públicos, coagindo comerciantes e corrompendo servidores".





Maurício Silva da Costa, que está preso atualmente no presídio federal de Mossoró/RN, e Fabiano Cordeiro Ferreira devem cumprir a pena em regime fechado, não podendo recorrer em liberdade.

Os demais réus presos na operação serão julgados nos próximos meses.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários