Jair Bolsonaro encontra alto índice de rejeição entre o eleitorado religioso
Reprodução: iG Minas Gerais
Jair Bolsonaro encontra alto índice de rejeição entre o eleitorado religioso

presidente Jair Bolsonaro (sem partido) despontou, em pesquisa realizada pelo instituto Atlas, como o candidato mais rejeitado para as eleições presidenciais de 2022. É o único candidato que ultrapassou a marca dos 60% de imagem negativa. Entre seus adversários políticos, Lula (PT) e Ciro Gomes (PDT) registraram queda no índice. As informações são do portal El País Brasil.

Após as suspeitas de corrupção na compra de vacinas contra o novo coronavírus, reveladas através da CPI da Covid , e a questionável gestão durante a pandemia, o desgate de Bolsonaro foi refletido em pesquisa. Entre os possíveis presidenciáveis para 2022, Bolsonaro lidera o ranking de rejeição com 62% de desaprovação. Desde o início da comissão parlamentar de inquérito, sua rejeição subiu cinco pontos percentuais.

Rejeição ao presidente

Bolsonaro também não encontra vida fácil entre seu eleitorado mais fiel, os religiosos. A pesquisa mostra que 69% dos católicos rejeitam a figura do presidente da República. Os evangélicos acompanham a tendência e 45% deles rejeitam o capitão do Exército.

Na divisão por faixa de renda, o chefe do poder Executivo federal possui rejeição maior que 50% em todas elas. Entre os que ganham até R$ 2 mil, Bolsonaro é desaprovado por 69% da população. O Nordeste e o Sul representam as regiões do país com os maiores índices contrários ao presidente: com 73% e 65%, respectivamente.

Campo adversário

Já seu principal adversário, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) -  que lidera as pesquisas para as eleições presidenciais - registrou queda em sua rejeição, que era de 60% e passou para 54%. Outro possível candidato da sigla petista, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), é rejeitado por 52% da população.

Você viu?

Ainda nos candidatos de esquerda, o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), diminuiu a sua rejeição com o eleitorado. Em novembro do ano passado, sua imagem era negativa para 60% dos entrevistados, mas hoje aparece com 50%.

Terceira via

Entre o grupo da chamada 'terceira via', os tucanos Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul; e Tasso Jereissati (PSDB), senador da República; possuem as menores reprovações: 37% e 39%, respectivamente. João Doria (PSDB), que briga com os estes dois para ser o representante da sigla no pleito nacional obteve 56% de rejeição.

Por fim, dos nomes que estão ou já esstiveram no governo Bolsonaro, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), e o vice-presidente Hamilton Mourão, tiveram 44% de rejeição. Paulo Guedes é um nome reprovado por 56% dos entrevistados e Sérgio Moro não possui a aprovação de 55% do povo brasileiro.


Danilo Gentili, nome testado pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e o  apresentador José Luiz Datena (PSL) possuem uma rejeição similar de 46% e 47%, respectivamente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários