Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar o senador Omar Aziz (PSD-AM)
Reprodução
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar o senador Omar Aziz (PSD-AM)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) conversou com seus apoiadores na manhã desta segunda-feira (19), após ter alta hospitalar no último fim de semana, e voltou a atacar a CPI da Covid. Ao se referir ao presidente da comissão, o senador Omar Aziz (PSD-AM) , Bolsonaro chamou o parlamentar de "anta amazônica".

A fala ocorreu após Bolsonaro negar a existência de corrupção dentro de seu governo e justificar que nenhuma vacina superfaturada foi comprada, embora o os recursos no Ministério da Saúde tenham sido empenhados para pagamento.

"O que a imprensa fazia naquela época? ‘Tem que comprar vacina, não interessa o preço’. Agora, quem queria comprar vacina, não interessando o preço e sem passar pela Anvisa era o Omar Aziz . Está documentado numa emenda que ele apresentou uma medida provisória nossa, sobre vacina, bem como o irmão do Renan Calheiros, o Renildo Calheiros, apresentou uma emenda igualzinha, que estados e municípios podiam comprar vacina sem a certificação da Anvisa e sem licitação. Imagina se aprova isso, hein, Omar Aziz? Mais conhecido como anta amazônica. Anta amazônica", declarou Bolsonaro.

O presidente aproveitou para justificar as gravações vazadas do ex-ministro, Eduardo Pazuello, em que o general diz ter um acordo para a compra de 30 milhões de doses da vacina CoronaVac através de intermediários. "Agora, você tem que tomar as medidas para evitar que aconteça o problema, já estamos há dois anos e meio sem corrupção no governo, agora tem essa CPI dos 3 otários, tentam de toda maneira colar ‘Ah, mas o Pazuello conversou com empresário’. Pô, se tivesse corrupção, não ia ter vídeo, meu Deus do céu, seria no porão, ou num canto qualquer. O tempo todo tentando ‘Ah, mas ele pensou em se corromper’, respondi para a repórter: Você sabe o que eu tô pensando sobre você?".


A Sinovac, farmacêutica que produziu o imunizante, ressaltou que apenas o Instituto Butantan possui autorização para negociar as vacinas CoronaVac em território brasileiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários