Investigado por assassinato, Jairinho agora enfrenta acusações de tortura
Renan Olaz / Divulgação CMRJ
Investigado por assassinato, Jairinho agora enfrenta acusações de tortura

Acusado de participar do assassinato do menino Henry Borel, de 4 anos de idade, o ex-vereador  Dr. Jairinho terá de prestar exclarecimentos sobre seu envolvimento em outro caso de agressão infantil. Isso porque a polícia indiciou Jairinho por tourtura a um menino de 3 anos. As informações são do jornal Meia Hora.

Na ocasião, Jairo pediu a mãe da criança para levá-la a uma festa. A mãe autorizou e quinze minutos após os dois saírem, o doutor ligou de volta para a mulher para relatar que a criança havia quebrado o fêmur.

Ao ser encaminhada ao hospital, o garoto precisou ser engessado. Seu abdomen, quadril, coxas e canela direita foram imobilizados em decorrência das agressões. A única região sem receber o gesso foi a parte íntima, para que o garoto fizesse as suas necessidades. As imagens constam no relatório final do inquérito da Delegacia de Criança e Adolescente Vítima (Dcav) contra Jairinho .


Adriano França, delegado responsável pelo caso, pediu a prisão preventiva do ex-político - que já se encontra preso pelo caso Henry - por tortura majorada. A esposa de Jairinho na época, Débora Saraiva, também foi indiciada por tortura imprópria - por se omitir e não proteger a criança. Ambos responderão por falsidade ideológica pois alegaram no hospital que o garoto havia sofrido um acidente automobilístico.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários