Leniel com o seu filho Henry, que tinha quatro anos
Reprodução/ Redes Sociais
Leniel com o seu filho Henry, que tinha quatro anos

Leniel Borel , pai do menino Henry Borel , divulgou um relato emocionado nas redes sociais recordando a última festa de aniversário do filho, que completaria cinco anos nesta segunda-feira (3). Henry foi morto no dia 8 de março . Na foto postada pelo pai, Henry aparece fantasiado do personagem Mario, famoso pela série de jogos de video game. Ele está diante de de uma mesa decorada, com bolo, salgados e doces. "Ah, como era lindo te ver crescendo", desabafou Leniel.

"Henry, hoje seria seu aniversário de 5 aninhos. Mais uma festa para comemorarmos juntos, sempre do jeitinho que você queria, com todos os personagens, bolos e brigadeiros que você gostava. Emocionante era ver sua alegria ao abrir os presentes. Que orgulho de você , meu presente de Deus! Ah, como era lindo te ver crescendo", escreveu Leniel.

A última festa da criança foi comemorada na casa da família, uma cobertura no Recreio. Leniel e Monique Medeiros (a mãe do menino, que foi presa por suspeita de participação na morte do próprio filho ) ainda estavam juntos. Os pais de Henry alugaram brinquedos e, por causa da pandemia, fizeram uma celebração restrita: uma festa só para os três.

O pai de Henry disse também que o dia "ficará eternizado": "Nosso tempo juntos foi muito breve, mas sempre intenso, feliz e muito especial. Daria tudo o que tenho por mais um dia com você, por mais um abraço, mais um sorriso, ou apenas ouvir-te dizer: - Papai, te amo. 03 de maio ficará eternizado comigo, pois sei que estarás vivo em meu coração por todos os dias da minha vida!", escreveu Leniel.

Vereador e mãe são investigados pela morte de Henry

O vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho , e a mãe de Henry, Monique Medeiros da Costa e Silva, foram presos em suspeita pelo envolvimento na morte da criança e serão indiciados por tortura e homicídio qualificado . Os dois foram presos em Bangu, na Zona Oeste do Rio, por policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca). Após um mês de investigação, a polícia concluiu que o vereador agredia o enteado, e que a mãe da criança sabia disso — pelo menos desde o dia 12 de fevereiro.

De acordo com as investigações, Jairinho dava bandas, chutes e pancadas na cabeça do menino. Ele, Monique e a babá do menino teriam mentido quando disseram que a relação da família era harmoniosa. Jairinho e Monique foram encontrados na casa de uma assessora do vereador. Caso sejam condenados, eles podem ficar presos por até 30 anos .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários