Menino de quatro anos chegou sem vida a hospital no Rio de Janeiro com lesões pelo corpo
Reprodução
Menino de quatro anos chegou sem vida a hospital no Rio de Janeiro com lesões pelo corpo

A morte do menino Henry Borel , de 4 anos, segue sob investigação da Polícia Civil do Rio e muitas perguntas ainda seguem sem respostas claras. O menino chegou sem vida a um hospital da Zona Oeste do Rio de Janeiro na madrugada do dia 8 de março. Exames iniciais apontaram que ele apresentou hemorragia e edemas por todo o corpo.

Veja a seguir o que sabe até agora sobre a morte do menino.

Henry estava com quem no dia da morte?

O menino estava com a mãe, Monique Medeiros da Costa Almeida, na casa do namorado dela, Jairo Souza Santos. Ele é vereador do Rio de Janeiro pelo Solidariedade e é conhecido como Dr. Jairinho.

Henry havia passado o final de semana anterior com o pai, o engenheiro Leniel Borel de Almeida. Ele é separado de Monique. 

O que a mãe e o padrasto disseram que aconteceu?

Monique e Jairinho contaram que ouviram um barulho de madrugada e que encontraram o menino desacordado no quarto.

Em seu depoimento na delegacia, a mãe afirmou que acordou por volta das 3h30 com o barulho da TV ligada e foi ver o filho. De acordo com ela, o menino foi encontrado desacordado no chão do quarto do casal após ter passado mal. Monique disse que estava com o namorado em outro cômodo vendo televisão.

Qual a versão da mãe sobre o motivo das lesões?

Monique disse aos investigadores que acredita que Henry acordou, ficou em pé em cima da cama do casal e se desequilibrou. Ela ainda afirma que o garoto também pode ter tropeçado no encosto da poltrona e caiu no chão.

Ela também falou que, quando deu banho no filho, não percebeu qualquer lesão grave.

O que o pai de Henry disse?

Você viu?

Na entrevista à TV Globo, o pai do menino relatou que, segundo a ex-mulher, a criança estava com os olhos revirados e já com dificuldade de respirar quando foi encontrado.

Como Henry estava quando chegou ao hospital?

Segundo o laudo do Instituto Médico-Legal (IML), a criança já deu entrada no hospital sem vida e apresentava lesões no crânio, no estômago, no fígado e nos rins. Ele também tinha várias manchas roxas pelo corpo.

Qual foi a causa da morte de Henry?

O laudo do IML aponta "hemorragia interna e laceração hepática [danos no fígado] causada por uma ação contundente [violenta]".

Henry pode ter se machucado assim ao cair da cama?

Segundo os peritos, não. "Uma queda de uma altura baixa é pouco provável que esteja na origem dessas lesões traumáticas", afirmou perito legista Carlos Durão à TV Globo.

"Nós observamos esses tipos de lesões em acidentes de trânsito, com muito mais energia", seguiu Durão.

A avaliação é que há lesões em áreas do corpo que uma queda como essa não proporcionaria.

As lesões em Henry podem ter sido causadas numa tentativa de reanimá-lo?

Os peritos dizem que não. De acordo com eles, "numa reanimação, às vezes a força aplicada pode fraturar o tórax ou a costela, dependendo da estrutura esquelética da vítima". No caso de Henry, eles dizem que "não tem nada disso".

O que a polícia diz?

A Polícia Civil informou que pretende ouvir mais testemunhas e fazer novas diligências para tentar esclarecer o que houve com o menino Henry. Está previsto o depoimento do perito do Instituto Médico-Legal (IML) que produziu o laudo de necropsia da criança.

Segundo a polícia, uma perícia foi feita na tarde do mesmo dia no apartamento de Monique e Jairinho. Mas, quando os peritos chegaram, uma funcionária do casal já tinha feito a limpeza do local.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários