'Não sou racista, meu pai tem cabelo pixaim', diz Wassef após caso de injúria
Daniel Marenco / Agência O Globo
'Não sou racista, meu pai tem cabelo pixaim', diz Wassef após caso de injúria

O advogado Frederick Wassef, ex-defensor da família Bolsonaro,  acusado de injúria racial pela funcionária de uma pizzaria em Brasília, afirmou que não é racista com um argumento controverso. "Já namorei uma negra, o meu avô, pai de meu pai, era mulato, meio mulato. Não sou racista. Inclusive, meu pai mesmo tem o cabelo bem pixaim, encaracolado". A declaração foi dada à coluna de Bela Megale, do jornal 'O Globo'.

A queixa partiu da atendente de um restaurante na capital federal. A vítima, que não teve sua identidade divulgada, relatou que Wassef é um cliente frequente e que é conhecido por ofender os funcionários do local.

No boletim de ocorrência, ela relatou que, na hora de deixar o local, Wassef reclamou da pizza e a agrediu verbalmente: "Você é uma macaca! Você come o que te derem". O gerente da loja confirmou ter ouvido o advogado chamá-la de "macaca".

Segundo Wassef, o caso é "farsa" planejada pelo gerente da loja, que já teria tentado prejudicá-lo outras vezes. "Estão mentindo e armando para destruir a minha imagem e minha reputação, me incriminar. Jamais na minha vida destratei qualquer pessoa, não sou nem fui racista, tenho grandes amigos irmãos negros", afirmou.

Wassef acredita que é alvo de uma conspiração. "Quem está patrocinando isso? Quem está por trás disso? Arquitetaram um plano. Alguém contratou, patrocinou e pagou advogados caros e famosos de Brasília. Em nenhum momento eu chamei a moça de macaca, nem chamei de negra. Importante dizer, ela não é negra", afirmou o advogado.

Wassef também entrou com uma ação contra a funcionária, a quem acusa de calúnia e difamação. O advogado disse que "tudo vai ser provado e colocado dentro dos autos” e que “virão os detalhes que não vou antecipar".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários