Bala perdida Rio
Tv Globo / Reprodução
O trailer onde estava Lady Ane quando foi morta por bala perdida

Uma mulher morreu após ser atingida por uma bala perdida na região central do Rio , na noite desta quinta-feira (22). Lady Ane Paulina, de 34 anos, estava com a namorada fechando o trailer na Rua Frei Caneca, perto da Praça da Apoteose, no qual as duas vendiam churrasquinho quando foi atingida por um tiro na cabeça durante uma perseguição de PMs a um carro onde havia suspeitos. As informações são do "Bom Dia Rio", da TV Globo.

Na mesma ocasião, um homem identificado como Nilton, que estava no Túnel Martim Sá, também foi baleado e levado para o Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro. Um suspeito ferido foi encaminhado para a mesma unidade de saúde, onde permanece sob custódia. Os dois passaram por cirurgias e estão na recuperação pós anestesia.

A Polícia Militar informou, em nota, que a perseguição começou após uma equipe do 4º BPM (São Cristóvão) que estava fazendo um patrulhamento pelo Estácio quando viram um carro vermelho transitando em atitude suspeita. Os PMs tentaram abordar o veículo e o motorista atirou contra os policiais, que reagiram. A perseguição se estendeu até a Rua Frei Caneca, onde houve novo confronto.

O carro foi alcançado no Túnel Martim Sá. Lá, uma equipe do 5º BPM (Praça da Harmonia) encontrou o motorista ferido e, de acordo com a PM, encontrou com ele uma pistola, um carregador, munição e um telefone.

Lady Ane foi encontrada já morta . O local onde ela foi baleada foi periciado por policiais da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC). A PM informou que "um procedimento apuratório será instaurado para averiguar as circunstâncias da ocorrência, como é de praxe nas situações envolvendo morte ou feridos".

Outras vítimas

No início desta semana, uma bala perdida matou outra pessoa, também na região central do Rio . Caio Gomes Soares, de 23 anos, havia acabado de se levantar da cama quando foi atingido por um disparo no peito, na manhã da última segunda-feira. A casa em que ele morava fica numa rua em frente ao Morro da Coroa, no Catumbi, onde PMs e bandidos trocavam tiros.

Em agosto, Ana Cristina da Silva, de 25 anos, morreu após ser atingida por uma bala perdida ao tentar proteger o filho, de 3. O tiro foi disparado durante uma invasão de traficantes rivais ao Complexo de São Carlos, no Rio Comprido.

    Veja Também

      Mostrar mais