Carlos Lula%2C secretário de Saúde do Maranhão
Karlos Geromy/Governo do Maranhão
Carlos Lula, secretário de Saúde do Maranhão

As mortes pela Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), podem chegar a 150 mil até o final do ano e atingir o dobro da quantidade de hoje em janeiro do ano que vem. A informação é do secretário de Saúde do Maranhão Carlos Lula, que também é presidene do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass).

O secretário também falou sobre a falta de equipamentos para intubar pacientes com Covid-19 em estado grave nos estados e alertou para o aumento das taxas de contágio e mortalidade nas regiões Sul e Centro-Oeste do País. A entrevista foi para a Agência Efe .

Para o líder do Conass, o general Eduardo Pazuello, que comanda interinamente o Ministério da Saúde, não deve sair da chefia da pasta. O motivo seria o bom diálogo que ele tem com o conselho. Na visão do secretário, uma saída não seria positiva nesse momento.

"Já houve grandes ministros da Saúde que não eram da área, como (o economista de formação e atual senador) José Serra. O importante é quem cerca o ministro. Neste caso, seria muito melhor que esses cargos de confiança sejam da saúde pública", disse o secretário ao comentar o fato de Pazuello ser um militar.

Carlos Lula assumiu a presidência do Conass depois da renúncia de Alberto Beltrame , que era secretário de Saúde do Pará. Ele deixou o cargo em meio a acusações de irregularidades na compra de respiradores no estado.

    Veja Também

      Mostrar mais