José Seripieri Júnior
Divulgação/Fiesp/Julia Moraes
José Seripieri Júnior

Um dos fundadores da Qualicorp, empresa de planos de saúde, José Seripieri Filho foi preso na manhã desta terça-feira (21) pela Polícia Federal . O empresário é investigado por suposto caixa dois na campanha eleitoral do senador José Serra (PSDB-SP) de 2014. Conhecido como Júnior, ele sempre teve relações próximas com políticos de vários partidos.

Em 2014, Júnior recebeu em seu casamento, em Bragança Paulista (SP) nomes como o então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, José Serra e Gilberto Kassab, além da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ele era o proprietário do helicóptero que caiu em 2015, na Grande São Paulo, e matou cinco pessoas, entre elas Thomaz Alckmin, filho caçula do governador Geraldo Alckmin

O empresário foi citado na delação de Antonio Palocci. Segundo o ex-ministro, Seripieri teria feito repasses ao PT , ao Instituto Lula e à empresa Touchdown, que pertencia a um dos filhos do ex-presidente Lula.

Luis Cláudio Lula da Silva queria desenvolver no Brasil o futebol americano e teria sido ajudado por várias empresas. O repasse, segundo Palocci, teria sido feito em troca de benefícios concedidos à empresa pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Na época, a Qualicorp divulgou nota, afirmando que tem capital aberto e seus contratos são auditados. "Sua atividade é exclusivamente privada e depende da contratação voluntária de cada cliente de plano de saúde. A empresa nunca pleiteou ou obteve qualquer tipo de benefício público e jamais transgrediu a lei. A companhia não comentará supostas acusações do ex-ministro, que foram rejeitadas pelo Ministério Público Federal por ausência de base fática."

O PT também negou irregularidades e acusou Palocci de negociar um "pacote de mentiras" com a Polícia Federal para se beneficiar e sair da cadeia.

Prisão do fundador da Qualicorp 

A prisão do empresário é temporária. Ele também foi alvo de mandado de busca e apreensão em sua casa. Durante a manhã desta terça, a PF cumpriu mais três mandados de prisão temporária e 15 de busca e apreensão relacionada a doações a Serra não registradas que, juntas, somam R$ 5 milhões.


    Veja Também

      Mostrar mais