Geraldo Alckmin
Denis William/PSDB
Geraldo Alckmin

O ex-governador de São Paulo  Geraldo Alckmin (PSDB) foi indiciado pela Polícia Federal (PF) na tarde desta quinta-feira (16) por Caixa 2, lavagem de dinheiro e corrupção passiva, segundo a GloboNews. Além dele, o ex-tesoureiro de campanha do PSDB Marcos Monteiro também foi indiciado.

O indiciamento de Alckmin , que foi governador entre 2001 e 2006 e de 2011 a 2018, ocorre no inquérito que investiga doações eleitorais da empreiteira Odebrecht.

O inquérito está no Ministério Público de São Paulo (MPSP). Cabe agora ao órgão decidir se irá fazer novas solicitações para a PF, para que a investigação se aprofunde, ou arquivar a denúncia de lavagem de dinheiro contra os dois.

O presidente nacional do PSDB , Bruno Araújo, afirmou que o ex-governador tem a confiança do partido. "Governador quatro vezes de São Paulo, quase cinco décadas de vida pública, médico, Geraldo Alckmin sempre levou uma vida modesta e de dedicação ao serviço público. É uma referência de correção e retidão na vida pública. Tem toda a confiança do PSDB", divulgou o partido no Twitter.

Já o diretor estadual do partido em São Paulo, Marco Vinholi, afirmou que "o Diretório Estadual do PSDB-SP tem absoluta confiança na idoneidade do ex-governador Geraldo Alckmin".

"A história do governador Geraldo Alckmin não deixa dúvidas sobre a sua postura de retidão, coerência e compromisso com o rigor da lei", alegou Vinholi.

Alckmin é investigado desde 2017, após a delação premiada da Odebrecht. Ele nega e afirma que "não recebi um centavo de dinheiro público, nem municipal, nem estadual, nem federal".



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários