Vereador Camilo Cristófaro
Divulgação/Camilo Cristófaro
Vereador Camilo Cristófaro

Funcionário de 62 anos da subprefeitura do Ipiranga em São Paulo, Décio Oda fez um boletim de ocorrência de uma agressão física e verbal que sofreu na última sexta-feira (10) do vereador Camilo Cristófaro (PSB). O político, no entanto, afirma que apenas se defendeu.

Oda, que é coordenador de governo local, relatou no boletim que o vereador teria entrado em uma reunião da subprefeitura de que ele participava procurando o chefe de gabinete, mas ao vê-lo começou a xingá-lo. "Você é um fracassado, um derrotado, vai tomar no seu c*", teria dito.

O servidor relata que tentou acalmar o vereador, mas foi empurrado, caindo e machucando seu pulso. À coluna Painel, da Folha de S. Paulo, ele contou que recebeu um "socão" no peito que motivou sua queda.

Quando Camilo Cristófaro deixou o local, Oda relata que foi ameaçado por ele. "Vou transformar esta subprefeitura em um inferno", teria dito.

Contudo, o vereador afirma que não houve agressão, que foi empurrado e empurrou de volta e que não bateu em funcionário da prefeitura, já que Oda ocupa um cargo de confiança, segundo relatou à coluna. 

Cristófaro teria ficado irritado com a subprefeitura por ter sido questionado de ter retirado equipamentos de ginástica e ter pintado vagas de carros indevidas na região. "Já que eles não fazem, faço eu. Estão reformados [os equipamentos] e recolocados na praça", disse à coluna.

O vereador alegou que a subprefeitura do Ipiranga não atende todos os vereadores da mesma forma, dando preferência a Aurélio Nomura (PSDB), que é primo de Oda.

"É impossível ter uma subprefeitura comandada por um só vereador. Só atendem quem é do agrado do vereador Nomura", afirmou Cristófaro.

    Veja Também

      Mostrar mais