Queiroz e a filha Nathália
Reprodução/Instagram / Imagem de arquivo
Queiroz e a filha Nathália, em uma imagem registrada antes das investigações

O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) , Fabrício Queiroz, deve ir para a prisão domiciliar na manhã desta sexta-feira (10). A decisão foi ajuizada pelo ministro João Otávio Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) na quinta-feira (9). Emocionada, Nathália Queiroz, filha de Fabrício, disse que iria buscá-lo no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro.

"Estou indo te buscar, meu pai! E você vai ter o abraço de todos os seus filhos que estão cheios de saudades e tanto te amam e sabem o homem incrível que você é!", disse a filha na mensagem. Queiroz é investigado por um suposto esquema de "rachadinhas" no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro ( Alerj ).

O benefício da prisão domiciliar contempla também a esposa de Queiroz, Márcia Aguiar, considerada como foragida. Segundo a defesa, ela irá se apresentar. Queiroz está preso desde o dia 18 de junho, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Anjo e o encontrou na casa de Frederick Wassef, amigo pessoal e ex-advogado da família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) .

O argumento usado para tirar Queiroz da cadeia foi o "atual estágio da pandemia do coronavírus". Os advogados justificaram ainda que Queiroz "é portador de câncer no cólon e recentemente se submeteu a cirurgia de próstata".

    Veja Também

      Mostrar mais