Desrespeitas os protocolos definidos pelo Plano São Paulo pode resultar em multa para os estabelecimentos e para as pessoas físicas
Eduarda Esteves/iG
Desrespeitas os protocolos definidos pelo Plano São Paulo pode resultar em multa para os estabelecimentos e para as pessoas físicas

Com a reabertura de bares e restaurantes em São Paulo, permitidos a partir desta segunda-feira (6), parte da população se preocupa com a possibilidade de pessoas se aglomerarem nestes estabelecimentos, como foi visto na  última quinta-feira no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro.

Em coletiva realizada nesta segunda-feira (6), o Governo de São Paulo foi questionado pela jornalista do iG, Eduarda Esteves, sobre como vai ocorrer a fiscalização por parte da vigilância sanitária nestes locais.

Segundo Edson Aparecido, Secretário Municipal da Saúde, o ocorrido na capital fluminense não ocorrerá em São Paulo, já que o protocolo definido pelo Plano São Paulo permite apenas o funcionamento das áreas internas dos estabelecimentos.

"O protocolo em relação ao funcionamento de bares e restaurantes não prevê a utilização de área externa. A utilização apenas da parte interna faciilitaria o aplicamento correto do protocolo como também um acompanhamento da vigilância", respondeu o secretário.

Perguntado também sobre o balanço dos primeiros dias de aplicação de multas para a desobediência do uso de máscaras nestes locais, Edson Aparecido afirmou que ainda não há dados disponíveis e que os relatórios serão feitos semanalmente.

"Nós ainda não temos o balanço dos dois primeiros dia sobre a aplicação de eventuais multas. Nós devemos fazer um balanço semana l em relação a isso", complementou.

Desde o início das medidas de flexibilização do isolamento social, o prefeito Bruno Covas vem dizendo que, para possibilitar a reabertura dos serviços de forma segura, conta com a colaboração das próprias entidades representativas dos setores para realizar as fiscalizações.

"Esse é um dos segredos de fazer os protocolos com as entidades representativas do setor, para que eles também possam ajudar com autotutela . A participação dessas associações também vai ajudar a prefeitura a fiscalizar. Os maiores interessados em mantermos esse índice em São Paulo, são os comerciantes", afirmou Covas, em outra oportunidade.

    Veja Também

      Mostrar mais