Ministro Sergio Moro
Marcos Corrêa/PR
Ministro Sergio Moro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou nesta quinta-feira (6) que os condenados no caso da  família encontrada morta e carbonizada no ABC Paulista, no último dia 28,  deve ter consequências mais duras por conta da lei anticrime. O projeto do ministro foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro poucos dias antes do crime. 

Em sua conta do Twitter, Moro afirmou que a lei anticrime vai começar a surtir efeitos e que os condenados por crimes hediondos terão progressão do regime de pena, aumento do tempo de cumprimento de 30 para 40 anos e o fim da chamada "saidinha". 

"A lei anticrime já vai começar a surtir seus efeitos, com tratamento mais rigoroso para crimes hediondos com resultado morte, como no caso do lamentável assassinato dessa família", escreveu o ministro.

Leia também: Filha e namorada presas e homem foragido: o que já se sabe sobre o crime no ABC

As investigações sobre a morte de Romuyuki Gonçalves, Flaviana Menezes e Juan Victor Gonçalves, família encontrada carbonizada dentro de um carro em São Bernardo do Campo, indicam que as autoras do crime são Ana Flávia e Carina Ramos, filha e nora do casal.

Elas estão presas de forma temporária e foram convocadas a prestar um novo depoimento na segunda-feira (3), mas se mantiveram em silêncio. O primo de Carina, Juliano Ramos Junior, também foi preso na noite da segunda, pouco após o pedido de prisão da polícia.





    Veja Também

      Mostrar mais