Tamanho do texto

Presidente (PSL) fez um pronunciamento em rede nacional sobre as queimadas na Amazônia; discurso foi alvo de panelaço em diferentes estados

Por causa das queimadas que já duram cerca de três semanas, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) definiu a atual conjuntura da Amazônia como "crítica" e possívelmente "irreversível". Após uma forte repercussão internacional, o presidente da república, Jair Bolsonaro (PSL), dediciu discussar em rede nacional nesta sexta-feira (23). Sabendo disto, opositores organizaram um panelaço contra o correligionário. 

Leia também: Protestos pela educação acontecem em 18 estados e no DF

Bolsonaro arrow-options
Alan Santos/PR
Bolsonaro

Enquanto Bolsonaro discursava sobre as queimadas na Amazônia , alegando que seu governo terá "tolerância zero" em relação a crimes ambientais, panelaços foram registrados em diferentes regiões do País, como Belo Horizonte, Recife, Rio de Janeiro, Florianópolis, Brasília, Bahia e em São Paulo.

Leia também: Acompanhe os protestos em defesa da Amazônia que acontecem pelo Brasil


Apesar de ter sido alvo de panelaço , durante seu discurso, o presidente declarou que irá "atuar fortemente" para controlar os incêndios que tem destruído parte da floresta amazônica nos últimos dias. Para isso, ele autorizou o uso das Forças Armadas no combate ao fogo até o dia 24 de setembro.

Leia também: Manifestações pela Amazônia devem acontecer em mais de 70 cidades pelo Brasil

Neste sábado (24) e domingo (25), outras 58 cidades devem protestar contra as políticas ambientais de Bolsonaro . Entre elas, quase todas as capitais: Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis, Campo Grande, Cuiabá, Aracajú, Maceió, Recife, Fortaleza, São Luís, João Pessoa, Natal, Belém, Manaus, Palmas, Macapá, Porto Velho e Boa Vista.