Tamanho do texto

Confusão teve início com um morteiro que teria partido de um grupo de manifestantes. A Polícia Militar revidou com gás e bomba de efeito moral

Milhares de manifestantes protestaram contra a reforma da Previdência, nesta sexta-feira (14), no Centro do Rio. Militantes de movimentos sociais, centrais sindicais, professores e estudantes começaram a se concentrar, por volta das 16h na Praça em frente a Igreja da Candelária, e seguiram em caminhada pela Avenida Presidente Vargas depois das 18h.

Leia também: Protesto contra lei de extradição termina com violência e repressão em Hong Kong

Manifestação contra a Reforma da Previdência
Luciano Belford / Agência O Dia
Manifestação contra a Reforma da Previdência

O ato, em prol da reforma da Previdência , seguiu pacífico até às 19h15, quando houve um princípio de confusão nas proximidades do Panteão Duque de Caxias. O local também registrou confronto no último dia 15 de maio.

Leia também: Policial militar é atingido no olho durante manifestação no Rio Grande do Sul

De acordo com relatos, a confusão teve início com um morteiro que teria partido de um grupo de manifestantes . A Polícia Militar revidou com gás e bomba de efeito moral. Após o tumulto, o protesto dispersou.

A sexta (14) foi marcada por atos em várias cidades do país. No Rio, diversos pontos da cidade tiveram concentração de manifestantes. Os grupos bloquearam vias, principalmente as que dão acesso ao Centro da cidade.

Em Niterói, na Região Metropolitana, um carro em alta velocidade atropelou pelo menos cinco manifestantes na Avenida Marquês do Paraná, no Centro, durante o protesto contra a reforma da Previdência e os cortes na educação pública. De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma mulher ferida foi socorrida pela corporação, por volta das 7h04.

  • Trânsito

Por causa da manifestação, segundo o balanço do Centro de Operações da Prefeitura (COR) das 19h, há 108 km de congestionamento em toda a cidade. A média das últimas três sextas-feiras é de 112km. A Avenida Presidente Vargas segue interditada no sentido Praça da Bandeira, entre a Avenida Rio Branco e a Rua de Santana.

No sentido Candelária, a pista central fechada a partir dos Correios. E a pista lateral, a partir da Rua Carmo Neto até a Avenida Rio Branco. A recomendação do COR é que os motoristas optem pelo Túnel Marcello Alencar e pela Via Expressa do Porto.

Já o Metrô, a Linha 1 com estações Presidente Vargas e Uruguaiana, acessos A e B estão fechadas. As demais estações e o serviço de metrô na superfície em operação normal.

Leia também: Doria critica greve e diz que hoje é "dia de trabalho para o brasileiro de bem"

Por conta de bloqueios na região do Palácio Duque de Caxias, a Linha 2 do VLT passou a circular entre Praia Formosa e Central. A Linha 1 segue circulando entre Praia Formosa e Parada dos Museus. Não há outros atos em prol da reforma da Previdência programados até então.