Tamanho do texto

Ronnie Lessa está preso desde março pelo assassinato de Marielle Franco e de Anderson Gomes; ele participará de audiência por videoconferência

Ronnie Lessa sendo preso
Reprodução/TV Globo
Ronnie Lessa é acusado de ser o autor dos disparos contra Marielle Franco

O policial militar reformado Ronnie Lessa prestará depoimento nesta sexta-feira (7) em uma audiência sobre a investigação da morte da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes. Como está preso em Mossoró (RN), Ronnie vai participar por videoconferência.

Leia também: Jardim em Paris vai se chamar Marielle Franco

Ronnie é acusado de ser autor dos disparos que mataram Marielle Franco e está preso desde março deste ano. Além dele, o ex-policial militar  Élcio de Queiroz também foi acusado pelo crime. Ele é acusado por supostamente dirigir o carro usado no atentado.

Os promotores do Ministério Público do Rio de Janeiro afirmam que o crime foi planejado em detalhes durante três meses. Eles também informam que Ronnie fez pesquisas na internet sobre lugares em que a vereadora frequentava.

Logo após a prisão dos acusados, a polícia encontrou 117 fuzis desmontados em caixas na casa de Alexandre Mota, um amigo de Ronnie Lessa , que também foi preso. Ele alegou que os armamentos pertenciam a Ronnie e ele apenas guardava, sem saber qual era o conteúdo das caixas que estavam lacradas. Esta semana, o ex-pm prestou depoimento atestando a versão do amigo, o que resultou na libertação de Alexandre.

Leia também: Jovem engana deputadas do PT e tira foto usando camiseta com ataque a Marielle

Marielle Franco foi assassinada no dia 14 de março de 2018. Os primeiros suspeitos do crime, Ronnie e Élcio, só foram indiciados um ano mais tarde. Até hoje, os responsáveis pela investigação são questionados sobre o esclarecimento de quem teria sido o mandante do crime.