Tamanho do texto

Proibição às motos já funciona na Marginal Tietê desde 2010; medida visa transformar o trânsito de São Paulo em um dos mais seguros do mundo

marginal motos
shutterstock
limites de velocidade na pista local da Marginal Pinheiros são de 50 km/h nas faixas da direita e 60 km/h nas demais

Começa a valer nesta segunda-feira (20) a  proibição de circulação de motos na pista expressa da Marginal Pinheiros, em São Paulo. Inicialmente, o veto se dará apenas no sentido Interlagos/Castello Branco porque não há trechos em que não existe divisão de pistas no sentido contrário.

Os primeiros 30 dias do funcionamento do veto às motos em São Paulo estão destinados a adaptação dos motoristas e não haverá aplicação de multas. Mas após esse período, quem desrespeitar a determinação poderá receber uma multa no valor de R$ 130,16, além de quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Segundo a administração municipal, a medida já deu resultados positivos na pista central da Marginal do Tietê, onde é aplicada desde 2010. Os limites de velocidade na pista local da  Marginal Pinheiros  são de 50 km/h nas faixas da direita e 60 km/h nas demais.   A ação prevê a criação de “áreas calmas”, com velocidade máxima de 30km/h.

Leia também: Italiano é esfaqueado durante briga após show da Virada Cultural no centro de SP

Com o Plano de Segurança Viária 2019-2028 – chamado de Vida Segura e apresentado pelo prefeito Bruno Covas no dia 17 de abril – a prefeitura também alocou R$ 35 milhões para intervenções de segurança viária que estão entre as estratégias de atuação prioritárias do novo plano em 2019.

 “O programa foi construído ouvindo os especialistas. Não é um plano do prefeito, é um plano da cidade de São Paulo . A pressão das pessoas e o quanto elas se apropriam disso é que vai garantir a perpetuação dele”, destacou o prefeito  Bruno Covas .

Leia também: Túnel Acústico é totalmente liberado e Rio volta ao estágio de normalidade

O projeto, que começou com a proibição do tráfego de motos , tem como objetivo transformar São Paulo em uma das cidades com tráfego mais seguro do mundo e vai nortear a execução de políticas públicas para a redução de ocorrências graves e mortes no trânsito.