Tamanho do texto

Mãe do menino de três anos disse que ele chegou em casa chorando e dizendo que a "tia tinha brigado" com ele; auxiliar escolar acabou afastada

saco de cocô na mochila
Reprodução/Facebook
Mãe se revolta ao ver filho voltar de creche com saco de cocô amarrado na mochila, em Montes Claros

Uma funcionária de um Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) de Montes Claros, município do norte de Minas Gerais, acabou sendo afastada nesta quinta-feira (25). Isso aconteceu depois que a denúncia de uma mãe, revoltada com o tratamento recebido pelo seu filho na instituição, viralizou nas redes sociais nesta quarta-feira (24).

Leia também: Menino de dois anos deixa creche e caminha sozinho por 1 km até a casa, em SP

A autônoma Stefane Leite da Silva contou – em vídeo publicado nas redes sociais – que o filho de três anos voltou chorando da creche ontem, com uma sacola de fezes amarrada na mochila . De acordo com ela, a situação teria causado constrangimento à criança e foi causada pela auxiliar escolar do Cemei.

"Meu filho entrou no Cemei Doutor Mário Ribeiro neste ano. Ele estuda no horário da tarde e ficava animado de ir à escola", contou a mãe da criança ao jornal O Tempo . "Ontem, ao buscá-lo no ponto de ônibus em que o especial para, vi que tinha uma sacola amarrada na mochila, andei alguns metros e fui reparar que era cocô", explicou.

Leia também: Bebê de apenas 1 ano é agredido com 14 mordidas dentro de creche em Roraima

"Andei mais apressada e, ao chegar em casa, liguei para a escola. Essa auxiliar de sala que atendeu e disse que tinha mandado a sacola porque não tinha luvas e papel lá. Também disse que não era obrigação dela pegar o cocô ", explicou a autônoma.

No vídeo publicado nas redes sociais, a mãe da criança conta que o filho lhe disse que "a tia tinha brigado" com ele e que não queria mais ir à creche . Além disso, ela mostra a sacola plástica amarrada à mochila.

"Um dia anterior mandei um bilhete para a escola porque ele voltou para casa todo arranhado. Meu filho não quer mais estudar aqui. Pretendo procurar a Justiça porque não se pode fazer isso com uma criança", desabafou a mãe.

Leia também: Funcionárias são demitidas após bebê de 7 meses ser “esquecido” em creche de SP

Hoje cedo, Stefane contou, em outro vídeo, que conversou com a escola e soube que a funcionária responsável pelo episódio da sacola de fezes amarrada à mochila foi afastada do Cemei. Ela agradeceu ao compartilhamento e disse vai conversar com o filho para ver se vai ou não mantê-lo no centro de educação.