Tamanho do texto

Kauani foi tirada da casa dos pais após uma festa, enquanto dormia; há suspeitas não confirmadas de que ela tenha sido abusada pelo assassino

kauani soares
Reprodução/Facebook
Criança de seis anos acabou morta em Mongaguá, após ser sequestrada por um homem motivado a vingança

Um homem de 28 anos confessou, na manhã desta terça-feira (23), que matou a menina Kauani Cristhiny Soares Rodrigues, de 6 anos, por vingança , no litoral sul de São Paulo. A menina estava dormindo em casa quando foi sequestrada na última quarta-feira (17) e seu corpo foi encontrado no início da noite desta segunda-feira (22), em uma vala em Mongaguá.

Leia também: Bolsonaro passeia de moto no litoral de São Paulo e brinca com apoiadores

O suspeito, que não teve o nome revelado à imprensa, é morador de rua e foi identificado por imagens registradas por câmeras de segurança, na madrugada em que Kauani desapareceu. À polícia, ele disse que tirou a criança dormindo do seu quarto depois de um desentendimento durante uma festa, que aconteceu na própria casa em que ela vivia. Não ficou claro o motivo da briga, mas ele afirma que a discussão começou por excesso de bebida. 

O corpo da menina foi encontrado seminu em uma vala às margens da Avenida Sorocabana, a cerca de dez quadras do endereço dela, no Parque Marinho, nas proximidades plataforma de pesca, em Mongaguá . A suspeita é de que ela também tenha sido abusada antes de morrer. O corpo passará por exames que podem comprovar o crime, agravando ainda mais a pena, quando o assassino for condenado. 

Leia também: Mulher é salva pelo ex após ser espancada pelo namorado no litoral de SP

Ainda de acordo com o que disse à polícia, o suspeito carregou a criança nos braços, ainda dormindo, e a levado até a vala, onde a matou. Ele disse que esganou a menina e a jogou no local, negando que tenha a violentado. Porém, outras duas mulheres já denunciaram o mesmo homem por abuso. Exames foram solicitados. 

O corpo da menina foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Praia Grande. Um boletim de ocorrência de desaparecimento havia sido registrado no 2º Distrito Policial de Mongaguá, que passou a investigar o caso, que agora é relacionado à confissão por motivos de  vingança .

Leia também: Namorado de tatuador é achado morto uma semana após desaparecer no litoral de SP