Tamanho do texto

Ex-namorado da vítima estava na casa dela instalando um ar-condicionado e encontro gerou ciúmes no agressor; ocorrência foi registrada em Bertioga

mulher sendo ameaçada
Reprodução
Casos de feminicídio em São Paulo aumentaram neste ano; a jovem espancada só foi salva porque estava com ex em casa

Uma mulher de 20 anos foi agredida pelo namorado, de 18, durante uma crise de ciúmes dele, nesta terça-feira (17), no município de Bertioga, no litoral de São Paulo. O episódio foi motivado pela presença do ex-namorado da vítima na casa dela e só terminou sem piores consequências porque esse mesmo ex salvou a jovem que estava sendo espancada. 

Leia também: Homem declara "ego masculino ferido" ao assumir agressão a esposa em SP

A agressão começou quando o namorado da jovem chegou em casa e encontrou um técnico de ar-condicionado, instalando o aparelho na sala dela, no Jardim Vicente de Carvalho. De acordo com o boletim de ocorrência registrado na Delegacia Sede da cidade, o funcionário é ex-namorado da vítima. Por causa de tal coincidência, ela acabou sendo espancada pelo namorado.

Enquanto o funcionário fazia o serviço de instalação do aparelho na sala da cliente, ela foi ao andar superior da casa para tomar um banho. Nesse momento, o atual companheiro da vítima chegou, não entendeu o que acontecia e, com ciúmes, partiu para cima da namorada. Ninguém teve seu nome revelado à imprensa. 

Leia também: Site revela dados de agressões contra mulher nos 11 anos da Lei Maria da Penha

A mulher levou socos no rosto, machucando nariz, boca e cabeça. Ela chegou a revidar as agressões e, em meio à gritaria, o técnico subiu para o segundo andar do imóvel e impediu o namorado da vítima de continuar a agressão. 

De acordo com o boletim de ocorrência, o namorado da vítima foi expulso do local pelo ex dela. A jovem espancada foi a delegacia, onde registrou o crime de lesão corporal e o agressor continua livre. Ela foi orientada a se submeter ao exame de corpo de delito e foi informada quanto ao prazo para representação criminal contra o agressor. A Polícia Civil investiga o caso.

Leia também: Brasil tem onda de feminicídios no início do ano, com mais de 100 casos em 1 mês

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.