Tamanho do texto

Médium será internado no Instituto de Neurologia de Goiânia; ao julgar recurso do MPF, colegiado do STJ confirmou decisão individual de ministro

Médium João de Deus cercado por homens
Marcelo Camargo/ Agência Brasil
O médium João de Deus foi acusado de abuso sexual e estupro por centenas de mulheres

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou nesta quinta-feira (11)  decisão do ministro Nefi Cordeiro que autoriza o médium João de Deus a deixar a prisão para ser internado no Instituto de Neurologia de Goiânia.

A decisão de Cordeiro foi proferida no mês passado, mas questionada pelo Ministério Público Federal (MPF). O colegiado julgou o recurso do MPF contra a decisão liminar do ministro e, por unanimidade, fa referendou, autorizando a saída de João de Deus .

Leia também: Filho de João de Deus consegue habeas corpus e deve deixar prisão

O médium  foi preso no 16 de dezembro do ano passado sob a acusação de violação sexual mediante fraude e de estupro de vulnerável. Os crimes teriam sido praticados ao longo de décadas contra centenas de mulheres na instituição em que atendia pessoas em busca de tratamento espiritual, em Abadiânia , Goiás.

Na decisão, Nefi Cordeiro entendeu que todo preso tem direito à dignidade e à saúde. O ministro atendeu a um pedido da defesa de João de Deus , que tem  problemas de pressão arterial e um "aneurisma da aorta abdominal com dissecção e alto risco de ruptura", segundo os advogados.