Tamanho do texto

Medida autoriza saque de até R$ 6.200 do FGTS e isenção da cobrança do IPTU de moradores afetados; Covas diz que pedirá também ajuda a Doria

Corpo de Bombeiros usou botes para resgatar pessoas ilhadas em enchentes na grande São Paulo após chuvas
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
Corpo de Bombeiros usou botes para resgatar pessoas ilhadas em enchentes na grande São Paulo após chuvas

De volta à função de prefeito nesta terça-feira (12), após licença e viagem à Europa, Bruno Covas (PSDB) anunciou que irá decretar situação de emergência nos bairros afetados pelos fortes temporais que provocaram enchentes, deslizamentos e a  morte de ao menos 13 pessoas desde o último fim de semana na região metropolitana.

De acordo com a Prefeitura, a Secretaria Municipal das Subprefeituras está elaborando um mapa para delimitar as áreas que serão incluídas no decreto, a ser publicado nesta quarta-feira (13). Os bairros do Ipiranga e da Vila Prudente, os mais afetados pelas chuvas em São Paulo , são os únicos confirmados até o momento no decreto.

O decreto de situação de emergência  permitirá que as pessoas afetadas pelos alagamentos possam sacar o FGTS, no valor de até R$ 6.200, e também terem a isenção no pagamento do IPTU.

Bruno Covas disse que buscará oferecer ainda mais assistência às vítimas das enchentes em negociação com o governador, João Doria (PSDB). A ideia, segundo Covas, é de conseguir com o governo estadual a abertura de uma linha de crédito com juros subsidiados no programa Desenvolve SP. O prefeito também disse que pedirá a isenção da cobrança da conta de água para os moradores de áreas afetadas.

O prefeito prestou esclarecimentos a respeito dos valores empenhados na prevenção de enchentes na cidade . Segundo Covas, o município investiu R$ 160 milhões na limpeza de córregos e galerias, e na construção de piscinões. O valor representa 86% dos R$ 185 milhões previstos com recursos próprios do município para a prevenção de enchentes. O valor total para esse fim chega a R$ 580 milhões, mas a conta inclui recursos dos governos estadual e federal que, segundo o prefeito, não foram transferidos no ano passado.

Leia também: Pior chuva do século no ABC tornou situação em SP incontrolável, diz Prefeitura

“A limpeza de córregos e de galerias é um trabalho realizado com frequência pela Prefeitura de São Paulo ”, garantiu Covas, que prometeu ainda a entrega de novos piscinões na cidade. “Já entregamos três piscinões neste governo e vamos entregar outros cinco até o final de 2020”, disse.