Tamanho do texto

Elaine Caparroz diz ter certeza que foi dopada e acredita que pode ter sido vítima de vingança, o agressor está preso preventivamente desde o dia 16

Elaine Caparroz foi espancada durante 4 horas em seu apartamento, no Rio de Janeiro
Reprodução/redes sociais
Elaine Caparroz foi espancada durante 4 horas em seu apartamento, no Rio de Janeiro

A paisagista Elaine Caparroz, de 55 anos, presta depoimento na 16ªDP da Barra da Tijuca na tarde desta segunda-feira (25). Ela foi  espancada por quatro horas em um encontro no seu apartamento no último sábado (16), e diz acreditar ter sido dopada e vítima de vingança.

Em entrevista ao Fantástico, da TV Globo , Elaine Caparroz contou que ela e o agressor, Vinícius Serra, já estavam conversando há oito meses e combinaram de se encontrar algumas vezes, mas ele cancelou dizendo que havia tido imprevistos. 

No dia 16, Elaine sugeriu que o encontro acontecesse em seu apartamento e, quando chegou, Vinícius se identificou na portaria como Felipe. "O porteiro ligou e falou que Felipe havia chegado. Respondi que não esperava por nenhum Felipe. Depois ele disse que era Vinícius Felipe. Não sabia que ele tinha um nome composto. Pedi para o porteiro perguntar se era o Vini Serra. Aí ele confirmou que sim."

A vítima conta que quando Vinícius chegou ao apartamento ele parecia normal, mas depois ela começou a notar alguns comportamentos estranhos. Quando questionado se gostaria de assistir a um filme, o agressor respondeu que queria ver um de terror. Elaine, então disse que não gostava do gênero.

Leia também: Homem que espancou mulher no Rio já agrediu o próprio irmão com deficiência

"Em algum momento ele falou pra mim: 'Ah, eu gostaria da sua opinião'. Eu falei: 'Sobre o quê?'. Ele falou assim: 'Eu tenho um amigo que quer muito se vingar de alguém e ele pensa em matar essa pessoa. Nossa, meu amigo tá muito bravo! Ele quer realmente matar. O que você acha disso?' Eu falei: 'Nossa, que conversa, né? Que conversa mais louca'", relatou a paisagista. 

De acordo com Elaine, os dois começaram a beber vinho e logo depois ela já começou a perder os sentidos. Ela diz ter "certeza absoluta" que Vinícius colocou algo em sua bebida. "Eu só lembro de nós assistindo o filme juntos. Daí, eu já lembro de mim em pé na cama, com ele no meu quarto. Foi aí que eu já sei que algo aconteceu porque eu não lembro de nós dois juntos na sala levantando do sofá, combinando de ir para o quarto", afirmou. 

"A última coisa que eu lembro foi eu deitando no ombro dele e depois disso, não sei dizer quanto tempo depois, eu já estava no chão com ele em cima de mim desferindo vários socos horríveis no meu rosto, me agredindo muito, muito. Eu não entendi nada", completou. 

Elaine diz acreditar ter sido vítima de vingança, pois uma agressão dessa não poderia ter acontecido de forma gratuita. "Qual motivo de uma pessoa fazer isso gratuitamente? Eu não faço mal para ninguém. Deve ter algum motivo. Eu achei essas perguntas dele estranhas, por que ele ia perguntar isso? E por que ele fez isso comigo? Não sei", questionou. 

Leia também: Carlos Bolsonaro diz que "arma legal resolveria" caso de mulher espancada no Rio
Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que Vinícius Batista Serra, acusado de agredir Elaine Caparroz , está detido em prisão preventiva por tentativa de feminicídio , mas foi transferido para o Hospital Penal Psiquiátrico Roberto Medeiros, no Complexo Penitenciário de Gericinó (Bangu), para avaliação psiquiátrica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.