Tamanho do texto

Vítima conta que gritou, mas ninguém do vagão a ajudou; o homem já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas, homicídio e roubo e foi preso

Homem foi detido após ejacular em passageira dentro de um trem da CPTM
Reprodução/redes sociais
Homem foi detido após ejacular em passageira dentro de um trem da CPTM

Um homem foi detido na estação Hebraica-Rebouças, na linha 9-Esmeralda da CPTM, após ejacular em uma passageira dentro de um trem, em São Paulo.

Leia também: Empresária vítima de tentativa de feminicídio tem alta hospitalar no Rio

O caso aconteceu no dia 6 de fevereiro, mas uma amiga da vítima divulgou a situação nas redes sociais nesta semana. A mulher, que não quis se identificar, conta que estava a caminho do trabalho na estação Vila Olímpia da CPTM , zona sul da cidade, quando se sentiu incomodada com os movimentos do homem.

Ela relata que o trem estava muito cheio e o agressor estava atrás dela segurando algumas sacolas. "Me causou estranheza pois esse homem mexia bastante as mãos, mas achei que pudesse estar procurando alguma coisa nas sacolas", escreveu.

"Foi quando senti um líquido quente invadir minha calça, na região da nádega e da perna direita. Me virei rapidamente para ver o que havia acontecido, e foi quando vi que o homem estava com o pênis para fora e continuava fazendo movimentos", conta a vítima.

A mulher ainda afirma que gritou e pediu ajuda, mas os outros passageiros não fizeram nada. "Imediatamente comecei a gritar para que ele parasse, e foi quando ele se assustou e parou. Tinha uma menina ao meu lado aos prantos e com a mão toda suja daquele líquido nojento", ressaltou. 

Leia também: Jovem denuncia padrasto por estupro e tortura na Bahia: "Perdi a minha alma"

Ao perceber que ninguém ajudaria, a vítima conta que segurou o homem para que ele não fugisse. Em seguida, duas passageiras apertaram o botão de pânico do vagão e os funcionários da da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos chegaram. 

De acordo com a mulher, os funcionários a aconselharam a não ir para a delegacia pois "demoraria muito tempo" e ela passaria o dia todo lá. No entanto, depois de 2 horas e meia de espera, a companhia disponibilizou um carro para levar as vítimas e o homem para fazer um boletim de ocorrência.

O agressor foi preso em flagrante e o crime foi registrado como importunação sexual na 3ª Delegacia da Mulher (DDM) que, pela lei sancionada em setembro de 2018, é o ato libidinoso praticado contra alguém, e sem a autorização, a fim de satisfazer desejo próprio ou de terceiro. A pena prevista é de um a cinco anos de cadeia. O homem já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas, homicídio e roubo.

Leia também: Segurança que matou jovem em supermercado foi condenado por agressão a ex-mulher

No entanto, a CPTM registrou o caso como "tentativa de assédio" em seus registros, e não como importunação sexual. A companhia afirma que vai apurar internamente se o crime realmente aconteceu e tomará as medidas cabíveis.